Ministros da UE aprovam plano de distribuição de imigrantes

Sem unanimidade, distribuição de 120 mil pessoas foi aprovada

Ministros da UE aprovam plano de distribuição de imigrantes (foto: ANSA)
17:51, 22 SetROMA ZBF

(ANSA) - Diante da impossibilidade de se chegar a um acordo unânime, o Conselho de Ministros do Interior da União Europeia aprovou nesta terça-feira (22), por maioria qualificada, o projeto sobre imigração proposto pela Presidência do bloco com o intuito de amenizar a crise de refugiados que atinge o continente e a qual já é considerada a pior desde o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

De acordo com fontes locais, Romênia, República Tcheca, Eslováquia e Hungria votaram contra o documento, enquanto a Finlândia se absteve. O projeto prevê a redistribuição de 120 mil imigrantes que chegaram à Europa nos últimos meses e se concentraram principalmente na Itália, Grécia e Hungria. Com a medida, os estrangeiros serão enviados para outros países-membros do bloco.

O presidente da Comissão Europeia, Jean Claude Juncker, fez um apelo para que sejam alocados mais recursos para as operações da Frontex e mais investimentos nos países que têm saída para o Mar Mediterrâneo ou ficam fronteira com o Oriente Médio.

"Não estamos pedindo um cheque em branco. Sabemos que são tempos difíceis, mas não são menos difíceis nesta região do planeta", disse Juncker.

Segundo ele, o Executivo europeu propôs um aumento de nove bilhões de euros os fundos para as crises externas em 2016. Já a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento da Europa (OCDE) anunciou que o continente deverá bater o recorde neste ano com um milhão de pedidos de asilo ou refúgio.

"A Europa atingirá em 2015 um nível sem precedentes de solicitações de asilo e refúgio, atingindo a marca de um milhão", disse o organismo, em um estudo apresentado hoje em Paris, na França.

"A atual crise humanitária é sem precedentes.Os custos humanos são assustadores e inaceitáveis", alertou. Sob pedido da chanceler alemã, Angela Merkel, o Conselho Europeu se reunirá amanhã (23) para discutir a crise de refugiados.
    (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA