Obama recebe Hollande e afirma: 'Somos todos franceses'

Presidente de EUA e França discutiram combate ao Estado Islâmico

Hollande e Obama fazem pronunciamento conjunto na Casa Branca
Hollande e Obama fazem pronunciamento conjunto na Casa Branca (foto: EPA)
19:52, 24 NovWASHINGTON ZLR

(ANSA) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, recebeu nesta terça-feira (24) o seu colega francês, François Hollande, para discutir uma maneira de derrotar o grupo jihadista Estado Islâmico (EI), responsável pelos atentados do último dia 13 de novembro em Paris.

 

Após um encontro a portas fechadas, os dois deram uma coletiva de imprensa conjunta na Casa Branca, em Washington. "O EI, na sua horrenda estratégia, não pode mais ser tolerado, ele deve ser destruído", declarou o mandatário norte-americano.

 

Segundo Obama, os Estados Unidos e a França estão "unidos em total solidariedade" e concordam que as nações "devem fazer mais" para combater o EI. No entanto, o presidente deu um puxão de orelha na União Europeia e pediu para o bloco aumentar o compartilhamento de informações de inteligência.

 

"Nós americanos temos um grande amor pela França, nos dedicamos aos mesmos ideais: a França é o nosso mais antigo aliado, nos ajudou a conquistar a independência; e nós os ajudamos a se libertarem do fascismo", acrescentou Obama. Durante seu pronunciamento, o mandatário ainda arriscou algumas frases em francês, como "Nous sommes tous français" ("Somos todos franceses") e "Vive la France" ("Viva a França").

 

Hollande

 

Já o presidente do país europeu, François Hollande, disse que Obama prometeu a ele "ajuda ilimitada" para derrotar o Estado Islâmico. Os dois países integram uma coalizão internacional que realiza ataques aéreos contra o grupo na Síria e no Iraque.

 

"Os aliados devem destruir o EI onde quer que ele se encontre e também os seus recursos, que são substanciais. Devemos atingir as estruturas petrolíferas, o tráfico de drogas e o de seres humanos", afirmou o presidente francês. Segundo ele, Washington e Paris ampliarão os bombardeios contra a organização terrorista. "Não sucumbiremos e nem deixaremos que destruam aquilo que construímos", ressaltou. Hollande ainda garantiu que a França não mandará tropas para combater por terra na Síria.

 

Na próxima quinta-feira (26), o líder francês se reunirá em Moscou com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, para tentar unificar as estratégias contra o EI. Atualmente, as Forças Armadas russas combatem o grupo jihadista na Síria, mas ao lado do mandatário Bashar al Assad, a quem Paris e Washington gostariam de ver fora do poder. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA