Tragédias no Egeu e Mediterrâneo já mataram 95 em 2016

Número foi divulgado pela Organização Mundial para as Migrações

Homem carrega criança no mar Egeu para tentar chegar ao litoral grego
Homem carrega criança no mar Egeu para tentar chegar ao litoral grego (foto: AP)
19:49, 19 JanBRUXELAS ZLR

(ANSA) - Pelo menos 77 pessoas já morreram em janeiro tentando cruzar o mar Egeu rumo à Europa, enquanto outras 18 perderam a vida em travessias no Canal da Sicília, no Mediterrâneo.

 

Os números foram divulgados nesta terça-feira (19) pela Organização Mundial para as Migrações (OIM) e mostram que a maior crise de refugiados desde o fim da Segunda Guerra deve continuar provocando tragédias em 2016.

 

Apenas nos primeiros 18 dias do ano, 31.244 solicitantes de refúgio desembarcaram na Grécia via mar, número 21 vezes maior que os 1.472 de janeiro de 2015, quando a emergência ainda não estava no seu auge. "Os números sugerem que as chegadas marítimas na Grécia em 2016 podem superar de maneira significativa os 853.650 imigrantes que entraram no país pelo mar no ano passado", afirmou a OIM.

 

Desse total de mais de 31 mil, 48% são sírios, mas também há muitos afegãos (29%) e iraquianos (12%). O objetivo dessas pessoas é cruzar os Bálcãs e alcançar a parte mais rica da União Europeia, principalmente a Alemanha.

 

"Temos dois meses para colocar a situação migratória sob controle. A reunião de março será a última ocasião para ver se nossa estratégia funciona. Do contrário, enfrentaremos a queda do Acordo de Schengen", declarou Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA