Hungria anuncia referendo contra cotas de refugiados

País é o principal crítico da realocação no bloco

Cerca na fronteira entre Hungria e Sérvia para conter fluxo de solicitantes de refúgio
Cerca na fronteira entre Hungria e Sérvia para conter fluxo de solicitantes de refúgio (foto: EPA)
18:41, 24 FevBUDAPESTE ZLR

(ANSA) - O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, anunciou nesta quarta-feira (24) um referendo sobre o plano da União Europeia para realocar 120 mil solicitantes de refúgio entre seus Estados-membros.

 

A consulta fará a seguinte pergunta aos cidadãos: "Você concorda com o fato de que, sem a autorização do Parlamento nacional, a União Europeia possa obrigar a Hungria a acolher a recolocação de cidadãos estrangeiros em seu território?". O chefe do gabinete de Orbán já apresentou a questão ao órgão eleitoral local.

 

Segundo a lei húngara, é preciso coletar 200 mil assinaturas para propor um referendo, mas o partido do primeiro-ministro, o conservador Fidesz, há tempos está angariando apoio para a consulta. O sistema de redistribuição da UE foi aprovado no segundo semestre do ano passado, com forte oposição de países do leste europeu, liderados por Budapeste.

 

Os solicitantes de refúgio que serão realocados estão concentrados majoritariamente em Grécia e Itália, nações que mais recebem imigrantes em busca de proteção na Europa. Outro Estado que é contra a medida é a Eslováquia, que até já entrou com um recurso na Corte Europeia para tentar revertê-la. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA