Esquema de doping russo envolve mil atletas, diz relatório

Ao todo, 30 modalidades participavam das fraudes em exames

Esquema de doping russo envolve mil atletas, diz relatório (foto: EPA)
11:26, 09 DezLONDRES ZBF

(ANSA) - Mais de mil atletas teriam sido beneficiados pelo esquema de doping institucionalizado na Rússia nos últimos quatro anos, de acordo com a conclusão do "relatório McLaren", divulgado hoje (9).

A investigação, que já tinha sido parcialmente publicada em julho, antes dos Jogos Olímpicos de 2016, e levado à suspensão de 100 atletas da competição, foi detalhada nesta sexta-feira, em Londres.

Segundo o relatório, o governo russo compactuou com um esquema de doping iniciado em 2011, com a ajuda dos próprios serviços secretos, para aumentar o rendimento dos atletas do país, entre eles quatro medalhistas dos Jogos de Inverno Sóchi de 2014 e de Londres de 2012. Além do atletismo, outras 29 modalidades estariam envolvidas no esquema, como o futebol, disse o advogado canadense Richard McLaren, que cuida da investigação.

Ao todos, 1.115 atletas teriam participado do "programa de doping do Estado", em 30 modalidades, "tanto de esportes de inverno quanto de verão, com atletas olímpicos e paralímpicos". "Uma conspiração internacional foi implementada, com participação do Ministério dos Esportes e dos serviços, como a Agência Russa Antidoping (Rusada), o laboratório antidoping de Moscou e a agência secreta FSB para manipular as amostras", disse McLaren.

A Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) já se pronunciou sobre a versão final do relatório, dizendo que é "hora desta manipulação acabar". "A IAAF trabalhou em colaboração estreita com McLaren e com a Agência Mundial Antidoping (Wada) e mais da metade (53%) dos atletas citados no relatório já foi sancionada ou colocada em procedimentos disciplinares", informou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA