Familiares de Ban Ki-moon são acusados de suborno

Irmão e sobrinho pagaram "comissão" em venda de imóvel

Ban Ki-moon foi secretário-geral das Nações Unidas até o ano passado
Ban Ki-moon foi secretário-geral das Nações Unidas até o ano passado (foto: ANSA)
13:00, 11 JanNOVA YORK ZBF

(ANSA) - Dois familiares do ex-secretário-geral das Nações Unidas Ban Ki-moon estão sendo acusados nos Estados Unidos de corrupção na venda de um arranha-céu em Hanoi.
   

Joo Kyun Bahn, corretor de imóveis em Nova York e sobrinho de Ban, e seu pai Ban Ki-sang, irmão do ex-secretário, foram incriminados junto à Corte Federal de Manhattan. Bahn está preso preventivamente. "A venda garantiu uma comissão de vários milhões de dólares para o filho em Nova York e um capital alto para a empresa do pai, Keangnam, na Coreia do Sul", disse a acusação. O imóvel em Hanoi se chama "Landmark 72" e é um dos maiores arranha-céus de luxo da capital do Vietnã.
   

De acordo com a Justiça norte-americana, em 2013, a construtora do pai, responsável pela obra, enfrentava uma crise de liquidez e contratou o filho para conseguir um investidor. Os dois teriam pago uma comissão milionária para um funcionário de um país do Oriente Médio para adquirir o prédio.

O sul-coreano Ban Ki-moon deixou o posto de secretário-geral da ONU em 31 de dezembro e foi substituído pelo português Antonio Guterres. Em seu país natal, especula-se uma possível candidatura dele à Presidência. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA