A juiz, Lula diz ser vítima de 'massacre'

Ex-presidente prestou depoimento na 10ª Vara de Brasília

A juiz, Lula diz ser vítima de 'massacre'
A juiz, Lula diz ser vítima de 'massacre' (foto: ANSA)
19:46, 14 MarSÃO PAULO ZBF

(ANSA) -O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou depoimento nesta terça-feira (14) perante o juiz Ricardo Soares Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, na ação em que é acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Durante o depoimento, Lula negou a acusação e afirmou que nos últimos três anos está sofrendo "quase que um massacre" pela série de acusações que lhe são dirigidas.

"Há mais ou menos três anos tenho sido vítima de quase que um massacre. Estou orgulho e prazeroso de estar aqui e contar a versão desse fato. Me ofende profundamente a informação de que o PT é uma organização criminosa", afirmou.

Lula solicitou que o depoimento fosse prestado por meio de videoconferência, a partir de São Bernardo do Campo, onde mora, mas teve o pedido negado pelo juiz. Como essa ação penal é pública, o depoimento não é fechado, mas a Justiça Federal do Distrito Federal (DF) resolveu montar um esquema especial para o depoimento de Lula, com maior rigor no controle de entrada ao prédio.  

Na ação, Lula é réu juntamente com o pecuarista José Carlos Bumlai, o banqueiro André Esteves, o ex-senador Delcídio do Amaral e mais três pessoas, todos acusados pelo Ministério Público Federal (MPF) de tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, para que ele não firmasse acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato.

A denúncia, a primeira em que Lula se tornou réu na Lava Jato, foi aceita em julho do ano passado. Todos os réus negam as acusações.

Em novembro de 2015, Delcídio do Amaral foi preso quando era líder do governo de Dilma Rousseff no Congresso, após ser gravado em seu gabinete por Bernardo Cerveró, filho de Nestor. No áudio, o então senador sugere um plano de fuga para o ex-diretor da Petrobras, que iria para o exterior passando pelo Paraguai.  

Na gravação, Delcídio oferece ajuda de R$ 50 mil à família de Cerveró. Para o MPF, o objetivo era impedir que o ex-diretor descrevesse a atuação do então senador, bem como de Lula, André Esteves e Bumlai, no esquema de corrupção na Petrobras. Fonte: Agência Brasil (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA