Arábia Saudita proíbe festas de aniversários no país

Decreto religioso gerou polêmica nas redes sociais

Arábia Saudita proíbe festas de aniversários no país
Arábia Saudita proíbe festas de aniversários no país (foto: Ansa)
17:59, 18 SetRIAD ZCC

(ANSA) - O governo da Arábia Saudita proibiu todos os cidadãos de celebrarem aniversários no país, informou a imprensa local, citando fontes oficiais, nesta segunda-feira (18).
   

De acordo com a mídia, o anúncio foi realizado pelo conselheiro e membro da mais alta instituição religiosa da Arábia Saudita, Abdullah Al-Mutlaq. A proibição, que visa evitar despesas desnecessárias, também é válida para festas de aniversários infantis.
   

"As pessoas não têm muito dinheiro para gastar neste tipo de coisa", disse o religioso, ressaltando que essas "coisas não trazem nenhum benefício e o Islamismo não as promove, o que pode levar as famílias à pobreza".
   

A fatwa, espécie de decreto religioso, gerou diversos comentários nas redes sociais. Algumas pessoas criticaram duramente as autoridades da Arábia Saudita. A medida pareceu, para muitos como exagerada e desnecessária. No entanto, a emissão de fatwas semelhantes a essas é comum em países islâmicos.
   

O islamismo é uma religião regida pelo Alcorão, livro sagrado que contém textos revelados ao profeta Maomé, e que tem Alá como Deus. A proibição saudita às festas de aniversário segue a interpretação rígida do Islã seguida pela conservadora seita Wahhabi e implementada no país.

Todas as festas cristãs, e até mesmo algumas muçulmanas, são proibidas pois são consideradas costumes estrangeiros não sancionados pelos sauditas.
   

Apenas as festas muçulmanas de Eid al-Fitr, que marcam o final do Ramadã, e Eid al-Adha, que conclui a peregrinação anual à Meca, são permitidas no país. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA