Governo Trump retira Estados Unidos da Unesco

Washington acusou a entidade de adotar um viés "anti-Israel"

Governo Trump retira Estados Unidos da Unesco
Governo Trump retira Estados Unidos da Unesco (foto: EPA)
13:52, 12 OutPARIS ZLR

(ANSA) - Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (12) sua saída da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), por acreditar que a entidade tenha um viés "anti-Israel".

"Lamento profundamente pela decisão dos Estados Unidos de se retirar da Unesco, que foi notificada oficialmente por meio de uma carta do secretário de Estado Rex Tillerson", diz um comunicado da diretora-geral da organização, Irina Bokova.

Segundo ela, a saída dos EUA representa uma "perda" para a "família das Nações Unidas e para o multilateralismo". "O trabalho da Unesco não terminou, e continuaremos a seguir em frente para construir um século 21 mais justo, pacífico e igualitário, por isso a Unesco precisa do compromisso de todos os Estados", acrescenta a nota.

A decisão de Washington foi motivada pelas recentes resoluções da Unesco contra Israel, como aquela que retira do país a soberania sobre Jerusalém e outra que se refere a locais sagrados para judeus e muçulmanos apenas pelo nome islâmico.

Além disso, a entidade já condenou os assentamentos israelenses em Hebron, na Cisjordânia, declarada como "patrimônio histórico palestino". No entanto, a revista "Foreign Policy" especula que também tenha pesado para a decisão a dívida de US$ 500 milhões dos EUA com a Unesco.

A quantia se acumula desde 2011, quando o país suspendeu suas contribuições por causa do reconhecimento da Palestina como Estado-membro. A retirada só entrará em vigor no dia 31 de dezembro de 2018 e, após esse período, Washington se tornará "observador permanente" da entidade.

Israel

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, também disse ter dado instruções para "preparar" a retirada do país da Unesco, em paralelo com a saída dos Estados Unidos.

"A decisão do presidente Trump é corajosa e moral, porque a Unesco se tornou um teatro do absurdo e porque, ao invés de preservar a história, ela a distorce", declarou o premier. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA