Merkel e sociais-democratas iniciarão negociações em janeiro

A chanceler tenta formar governo para evitar novas eleições

Rivais nas urnas, Merkel e Schulz podem formar governo juntos
Rivais nas urnas, Merkel e Schulz podem formar governo juntos (foto: EPA)
16:34, 15 DezBERLIM ZLR

(ANSA) - Os líderes do Partido Social-Democrata (SPD) decidiram nesta sexta-feira (15) iniciar negociações "exploratórias" para a eventual formação de um governo de coalizão na Alemanha com a União Democrata-Cristã (CDU), legenda da chanceler Angela Merkel.

As tratativas já haviam sido aprovadas pelas bases do SPD, no começo de dezembro, e precisavam apenas do aval da direção da sigla. Segundo o líder social-democrata, Martin Schulz, as negociações com a CDU partirão "no início de janeiro" e devem ser concluídas na primeira quinzena do mês.

Schulz anunciou também a criação de uma comissão de 12 pessoas para conduzir as conversas com o partido de Merkel. "Essa é a base para construir um governo estável", afirmou a chanceler nesta sexta, em Berlim.

Merkel venceu as eleições de setembro passado, mas não conseguiu maioria absoluta no Parlamento, já que a CDU teve apenas 30% dos votos. Inicialmente, ela tentou formar uma coalizão com o Partido Liberal-Democrático (FDP) e os Verdes, mas as negociações fracassaram, principalmente por divergências sobre políticas migratórias e ambientais.

Por conta disso, Merkel teve de recorrer aos sociais-democratas, que rechaçavam a ideia de repetir a aliança que governou a Alemanha entre 2013 e 2017. CDU e SPD são os dois maiores partidos do país, porém os anos de "Grosse Koalition" ("grande coalizão", em tradução livre) derrubaram a popularidade da legenda progressista - Schulz foi eleito líder do SPD justamente para fazer oposição aos conservadores.

Se as duas siglas não se acertarem, a Alemanha terá de voltar às urnas, criando um cenário de instabilidade no país. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA