Trump teria ordenado que advogado mentisse ao Congresso

Informação pode complicar a situação do presidente dos EUA

Investigação do
Investigação do "caso Rússia" chegou mais perto do presidente Donald Trump (foto: EPA)
14:56, 18 JanWASHINGTON ZLR

(ANSA) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, teria ordenado que seu ex-advogado Michael Cohen mentisse ao Congresso sobre as negociações para construir um edifício em Moscou, na Rússia.

A informação é do site BuzzFeed, que cita dois investigadores da equipe do procurador especial Robert Mueller, que apura supostas interferências russas nas eleições de 2016 e um conluio entre o Kremlin e a campanha de Trump.

Segundo a reportagem, o presidente teria pedido para o advogado afirmar que as tratativas para levantar uma Trump Tower em Moscou haviam terminado meses antes do que de fato ocorrera. A suspeita teria sido confirmada pelo próprio Cohen.

Trump ainda teria apoiado um plano do advogado para visitar a Rússia durante a campanha de 2016 e negociar pessoalmente com o presidente Vladimir Putin. "Faça isso acontecer", teria dito o magnata, segundo o BuzzFeed.

Ivanka Trump e Donald Trump Jr., filhos do republicano, teriam recebido atualizações constantes sobre as ações de Cohen em Moscou. O ex-advogado pessoal do presidente foi condenado em dezembro passado a três anos de prisão por evasão fiscal, falso testemunho e violação da lei eleitoral.

No julgamento, ele mesmo admitiu ter mentido ao Congresso americano sobre as datas das negociações para a construção da Trump Tower em Moscou. Cohen havia dito que as tratativas terminaram em janeiro de 2016, sendo que, na verdade, elas só cessaram em junho, quando já estava claro que o magnata seria o candidato republicano à Casa Branca.

A novidade trazida pelo BuzzFeed é que o falso testemunho teria sido ordem do próprio Trump. O advogado também admitiu ter subornado duas mulheres, a atriz pornô Stephanie Clifford (mais conhecida como Stormy Daniels) e a ex-coelhinha da Playboy Karen McDougal, que alegavam ter tido casos extraconjugais com o republicano em 2006.

Em seu perfil no Twitter, Trump disse que Cohen "mente para reduzir sua pena", em sua primeira reação à acusação veiculada pelo BuzzFeed.

Inquérito

O Comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes abrirá uma investigação sobre a suposta ordem do presidente Trump para seu ex-advogado Michael Cohen mentir ao Congresso.

"A acusação segundo a qual o presidente pode ter instigado ao perjúrio perante nossa comissão, na tentativa de limitar os inquéritos e cobrir suas relações comerciais com a Rússia, é uma das mais graves até hoje", disse o chefe do comitê, o democrata Adam Schiff.

"Faremos o que for necessário para descobrir se é verdade", acrescentou. Se a acusação for comprovada, poderia se configurar a hipótese de obstrução de Justiça, o que abriria caminho para um eventual processo de impeachment.

A abertura do procedimento de afastamento cabe à Câmara, de maioria democrata, mas o impeachment precisaria do aval do Senado, nas mãos dos republicanos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA