Arábia Saudita diz que navios petroleiros foram atacados

Após a sabotagem, o preço do petróleo bruto aumentou 1,1%

Arábia Saudita diz que navios petroleiros foram atacados
Arábia Saudita diz que navios petroleiros foram atacados (foto: EPA)
17:21, 13 MaiBEIRUTE ZCC

(ANSA) - O Ministério de Energia da Arábia Saudita afirmou nesta segunda-feira (13) que dois navios petroleiros de bandeira saudita foram alvos de "ataques de sabotagem" perto da costa dos Emirados Árabes Unidos.

Segundo o ministro da pasta, Khalid AL-Falih, as duas embarcações foram atacadas na costa de Fujairah, um dos maiores centros de abastecimento de petroleiros do mundo, localizado no estreito de Ormuz, e sofreram "danos significativos".

"Felizmente, o ataque não deixou vítimas ou causou derramamento, mas causou danos significativos na estrutura das duas embarcações", ressaltou.

Riad condenou o episódio e ressaltou que foi uma tentativa de minar a segurança do abastecimento internacional. No entanto, as operações continuam normalmente.

Ontem (12), o Ministério das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos, por sua vez, chegou a informar que quatro navios comerciais, sendo dois sauditas, um norueguês e outro dos EAU, foram alvos de sabotagem na região. Mas as autoridades não chegaram a esclarecer a natureza do ataque nem os possíveis responsáveis.

"Realizar ataques de sabotagem em navios civis e comerciais e ameaçar a segurança e as vidas dos que estão a bordo é um acontecimento grave", afirmou o governo dos Emirados Árabes Unidos.

O governo do Irã, que faz fronteira com o estreito, pediu uma investigação completa sobre o caso, que ocorre em um momento em que os Estados Unidos aumentaram sua presença na região em meio à deterioração das relações com o Irã.

As tensões estão altas na região desde que Teerã anunciou que deixará de cumprir algumas das medidas previstas no acordo nuclear de 2015, do qual Washington saiu no ano passado.

No mês passado, os EUA decidiram acabar com as isenções de sanções para os principais importadores de petróleo iraniano.

O governo do presidente Donald Trump enviou navios de guerra para a região para combater o que chamou de "indicações claras" de ameaças do Irã às suas forças e ao tráfego marítimo. O Irã, por sua vez, rejeitou a alegação.

Cerca de um quinto do petróleo consumido globalmente passa pela área. Após a sabotagem, o preço do petróleo bruto nos mercados mundiais aumentou 1,1%, com o barril chegando a valer US$71,77.  (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA