Terremoto devasta Albânia, deixa 23 mortos e 600 feridos

Epicentro foi registrado entre as cidades de Shijak e Durrës

Epicentro foi registrado entre as cidades de Shijak e Durrës (foto: EPA)
19:46, 26 NovROMA ZBF

(ANSA) - Um terremoto de 6,2 graus atingiu a Albânia na madrugada desta terça-feira (26), próximo à cidade de Durrës, que fica na zona costeira do Mar Adriático. De acordo com fontes locais, ao menos 23 pessoas morreram e 600 ficaram feridas. Até o momento, 40 foram resgatas com vida de escombros. 

O tremor de terra ocorreu às 3h locais, e ao menos outras quatro réplicas foram registradas nas horas sucessivas, sentidas em outros países da região. O Instituto italiano de Geofísica e Vulcanologia (INGV) calcula que o epicentro do terremoto foi a 10 km de profundidade, entre Shijak e Durrës. O terremoto foi sentido na capital da Albânia, Tirana, onde as pessoas saíram pelas ruas, em pânico.

A imprensa europeia e as equipes de resgate da Albânia informaram que dezenas de pessoas ficaram sob escombros de prédios que desabaram, principalmente em Durrës.

Lá, o Hotel Vila Palma, de 4 estrelas e com três andares, desabou, matando ao menos quatro pessoas: duas mulheres, um idoso e um adolescente. O presidente da Albânia, Ilir Meta, afirmou que a situação na cidade de Thumane, próxima do epicentro, é "muito dramática" e que são feitos todos os esforços para tirar vítimas dos escombros.

Nas redes sociais, o primeiro-ministro da Albânia, Edi Rama, ressaltou que o país enfrenta "momentos dramáticos", nos quais "é preciso manter a calma". Líderes políticos de outros países lamentaram a tragédia e ofereceram ajuda. O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, enviou aviões e unidades especiais para a Albânia.

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o turco Recep Tayyip Erdogan também se dispuseram a colaborar. "Envio a minha fraterna proximidade ao povo e ao Estado da Albânia, colocados duramente à prova desse gravíssimo terremoto. A Europa está ao lado de vocês e sempre estará", disse, por sua vez, o presidente do Parlamento Europeu, o italiano David Sassoli.

Efeitos

O terremoto na Albânia foi sentido também na Bulgária, Croácia, Grécia, Itália, Kosovo, Montenegro, Sérvia e Macedônia. Na Itália, as regiões da Puglia e da Basilicata  receberam alertas, pois ficam na mesma região, viradas para o Mar Adriático e Mar Jônico, respectivamente.

Na Grécia, a 6km do vilarejo de Ano Kastritsi, um tremor de terra de 4,6 graus foi registrado por volta das 5h49 locais e assustou os moradores. Um terremoto de magnitude 5,4 na escala Richter atingiu a cidade de Nevesinje, no sul da Bósnia e Herzegovina. Não há relatos de vítimas até o momento. De acordo com o Instituto Geofísico Americano (USGS), o epicentro foi registrado a 6km a sudoeste de Blagaj e a 10km de profundidade.

A imprensa internacional, citando fontes da Bósnia e Herzegovina, informou que foram contabilizados apenas danos materiais e rachaduras em imóveis. As autoridades também ordenaram o fechamento temporário das escolas. O tremor ocorreu às 10h19 locais. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA