Homem negro é baleado pelas costas e gera protestos nos EUA

Caso em Wisconsin voltou a provocar debate sobre racismo

Jacob Blade foi alvo de diversos tiros em ação policial no Wisconsin
Jacob Blade foi alvo de diversos tiros em ação policial no Wisconsin (foto: Reprodução/Twitter)
12:53, 24 AgoSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - A cidade de Kenosha, no Wisconsin, foi o local de mais um caso de violência policial contra um homem negro neste domingo (23), o que causou diversos protestos antirracistas no estado. Dessa vez, um homem identificado como Jacob Blake foi baleado pelas costas por diversas vezes, a queima-roupa, por um policial branco.

Em imagens divulgadas nas redes sociais, o homem aparece sendo seguido por dois policiais em uma calçada e, quando abre a porta de sua caminhonete para sentar no banco do motorista, ele é agarrado pela camisa por um dos agentes, que dispara inúmeras vezes. Assim que ouve os tiros, uma mulher se desespera ao lado do veículo.

O advogado Ben Crump, que atua em outro caso sobre o racismo, o de George Floyd, falou à imprensa norte-americana que os três filhos de Blake estavam no veículo no momento dos disparos.

Segundo a polícia de Kenosha, Blake foi levado ao hospital de Milwaukee em estado grave. A direção também informou que afastou os dois agentes.

O governador do Wisconsin, Tony Evers, usou o Twitter para falar sobre o caso.

"Nesta noite, Jacob Blake foi baleado nas costas diversas vezes, em plena luz do dia, em Kenosha, Wisconsin. Kathy e eu nos unimos a sua família, amigos e vizinhos na esperança sincera de que ele não sucumba aos ferimentos. Enquanto não temos detalhes ainda, nós sabemos com certeza que ele não é o primeiro homem negro ou pessoa que foi baleada ou machucada ou morta sem piedade nas mãos de indivíduos encarregados na aplicação da lei em nosso país", escreveu Evers.

O político também reafirmou que o estado "ficará ao lado daqueles que continuam a lutar por justiça, igualdade e responsabilidade para as vidas negras no nosso país - vidas como as de George Floyd, Breonna Taylor, Tony Robinson, Dontre Hamilton, Ernest Lacy e Sylville Smith". As pessoas citadas foram todas mortas por ações policiais.

Desde maio, os Estados Unidos vem sendo palco de milhares de protestos contra a violência policial, especialmente, contra pessoas pretas. O estopim das manifestações, que se espalharam pelo mundo, foi justamente a morte de Floyd que, imobilizado pelo joelho do policial Derek Chauvin em seu pescoço por mais de oito minutos, morreu a caminho do hospital. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA