Macron anuncia que vai dobrar patrulhamento nas fronteiras

Presidente francês também quer uma reforma da Área Schengen

Presidente francês fez o anúncio em Le Perthus, na fronteira com a Espanha
Presidente francês fez o anúncio em Le Perthus, na fronteira com a Espanha (foto: EPA)
14:31, 05 NovPARIS ZRS

(ANSA) - O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou nesta quinta-feira (5) que vai dobrar a presença policial e militar nas fronteiras do país para combater a ameaça terrorista, o tráfico e a imigração ilegal.

O efetivo das forças de segurança nas fronteiras da França passará a ter por volta de 4,8 mil homens e mulheres. Macron, que estava acompanhado do ministro do Interior, Gérald Darmanin, fez o anúncio em Le Perthus, no extremo-sul do país.

Macron também disse que vai propor aos Estados-membros uma "profunda" reforma do Tratado de Schengen, com o objetivo de impor novos controles de segurança para a Europa.

"Gostaria de apelar por uma revisão da Área de Schengen e a um maior controle", disse o presidente, acrescentando que levará as primeiras propostas ao Conselho Europeu em dezembro.

O chefe de Estado francês afirmou que a revisão deverá tornar o Acordo de Schengen "mais coerente". O objetivo é fazer com que "proteja melhor" as fronteiras.

A França sofreu dois ataques terroristas em menos de duas semanas em outubro. Uma delas foi a decapitação do professor de história Samuel Paty, já a outra foi a morte de três pessoas em uma igreja em Nice, no sul do país.

"Essas decisões fazem parte do plano do que temos traçado nos últimos três anos, mas também levando em conta a evolução da ameaça, principalmente após os ataques que a França e a Áustria experimentaram", disse Macron.

As autoridades francesas elevaram o nível de alerta terrorista ao máximo. Após os últimos atentados, o governo tomou medidas para investigar e dissolver associações que alegavam ter simpatias extremistas. (ANSA).

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA