'Máscara não é ato político, mas meio de unir o país', diz Biden

Presidente eleito criou força-tarefa para combater Covid-19

Presidente eleito anunciou força-tarefa para combater Covid-19 (foto: AFP)
14:44, 09 NovWASHINGTON ZCC

(ANSA) - Pouco depois de anunciar uma força-tarefa para combater a pandemia do novo coronavírus, o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta segunda-feira (9) que fará todo o “possível para controlar a Covid-19” e incentivou o uso da máscara de proteção.

Durante pronunciamento, o democrata disse estar pronto para começar a trabalhar em benefício do povo americano. “Vamos fazer todo o possível para controlar a Covid-19, assim poderemos abrir os nossos negócios com segurança sustentavelmente, retomar nossa vida e deixar a pandemia para trás”.

Biden lembrou que o novo coronavírus está “ceifando quase mil vidas de americanos por dia, quase 240 mil mortes até agora, mas as projeções indicam que podemos perder mais 200 mil vidas nos próximos meses”.

“Os EUA ainda enfrentam um inverno sombrio e a vacina provavelmente não estará amplamente disponível nos próximos meses”, explicou o democrata, fazendo um apelo para todos usarem máscaras.

“Uma máscara não é uma declaração política, mas uma boa forma de unir o país”, ressaltou ele, dizendo que enquanto não há uma imunização segura, a máscara é a arma mais eficaz para se proteger da doença.

No discurso, Biden também disse que uma futura vacina contra o Sars-CoV-2 será gratuita e distribuída a todos os cidadãos do país. “O processo de aprovação da vacina anti-Covid deve ser guiado pela ciência para que a opinião pública tenha a confiança de que é segura e eficaz. Vamos seguir a ciência. Vou falar de novo: vamos seguir a ciência", enfatizou.

O presidente eleito explicou que só tomará posse em 20 de janeiro de 2021, mas já está tomando todas as medidas para combater a pandemia, citando sua força-tarefa. Ele também fez um novo apelo por união dos americanos.

“Nós só vamos derrotar a Covid juntos. Eu serei o presidente de todos os americanos. Essa eleição acabou”, ressaltou.

Mais cedo, a equipe de transição de Biden anunciou uma força-tarefa de 13 membros, incluindo a brasileira Luciana Borio, especialista em biodefesa que já trabalhou na Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) e no Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos.

Até o momento, a pandemia de Covid-19 já deixou cerca de 10 milhões de pessoas contaminadas e quase 240 mil mortos em todo o território americano, que concentra 20% das infecções e vítimas registradas em todo o mundo. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA