Áustria instituirá crime de ‘Islã político’ para combater terrorismo

Medida foi anunciada pelo chanceler Sebastian Kurz

Medida foi anunciada após ataque terrorista em Viena
Medida foi anunciada após ataque terrorista em Viena (foto: Ansa)
17:07, 11 NovBOLZANO ZCC

(ANSA) - O chanceler da Áustria, Sebastian Kurz, anunciou nesta quarta-feira (11) que o crime de "Islã político" será instituído na legislação, junto com uma série de medidas contraterrorismo, para combater as falhas de segurança identificadas após o ataque extremista em Viena na semana passada.

"Criaremos um crime denominado 'Islã político' para poder agir contra aqueles que não são terroristas, mas criam o terreno fértil para eles", escreveu o político no Twitter.

Segundo Kurz, as propostas incluem a capacidade de manter presos indivíduos condenados por crimes ligados ao terrorismo, vigilância eletrônica após a libertação e criminalização do extremismo político com motivação religiosa.

O chanceler explicou que as medidas, que serão apresentadas ao Parlamento em dezembro para votação, têm uma abordagem dupla, visando tanto suspeitos de terrorismo quanto a ideologia que os impulsiona.

Entre as possíveis regras também está uma proposta para barrar a cidadania austríaca a pessoas condenadas por crimes relacionados ao terrorismo.

"Haverá outras possibilidades de encerramento de locais de culto, a introdução de um registro de imãs, o símbolo e a lei de associação serão reforçados e serão tomadas medida para drenar os fluxos financeiros para o financiamento do terrorismo", acrescentou Kurz na rede social.

No último dia 2 de novembro, um jovem de 20 anos deixou ao menos quatro mortos e 20 feridos em diversos pontos de Viena, capital do país. Kujtim Fejzullai, autor do atentado, foi baleado e morto pela polícia. O ato foi reivindicado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA