Exército da Etiópia assume controle de parte de Tigray

Região no norte do país está em conflito com governo central

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, na cerimônia de premiação do Nobel da Paz de 2019
O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, na cerimônia de premiação do Nobel da Paz de 2019 (foto: ANSA)
10:10, 12 NovCAIRO ZLR

(ANSA) - O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, anunciou nesta quinta-feira (12) que o Exército Federal assumiu o controle da porção ocidental da região rebelde de Tigray, que está em conflito com o estado central.

"A região ocidental de Tigray está livre", escreveu o premiê em um texto no Facebook. "O Exército está prestando ajudas e serviços nas áreas libertadas", acrescentou.

Ahmed ainda acusou os combatentes locais de terem executado adversários com mãos e pés amarrados. A ofensiva em Tigray começou há cerca de uma semana, após meses de tensão entre a região e Adis Abeba.

O estado é controlado pela Frente Popular de Libertação de Tigray (TPLF), partido da etnia tigré, que representa 96% da população da região e 6% dos etíopes. A TPLF foi a principal força política no país durante décadas, mas reclama de ter sido marginalizada do governo federal com a ascensão de Ahmed, da etnia oromo, em abril de 2018.

O primeiro-ministro chegou ao poder como um símbolo de esperança de estabilidade em uma nação historicamente turbulenta e ganhou o Nobel da Paz em 2019 devido ao acordo de paz com a Eritreia, com quem a Etiópia estava em guerra desde o fim do século passado.

A ofensiva do Exército começou após ataques a bases militares em Tigray. Ahmed atribui as agressões à TPLF, que nega a acusação.

O partido também é contra o processo de paz com a vizinha Eritreia, com quem Tigray faz fronteira, e questiona o adiamento por tempo indeterminado das eleições previstas para agosto desde ano. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA