Washington e Michigan anunciam novas medidas anti-Covid nos EUA

País registrou mais de um milhão de casos apenas em uma semana

EUA estão enfrentando um aumento exponencial de casos de Covid-19 por todo o território
EUA estão enfrentando um aumento exponencial de casos de Covid-19 por todo o território (foto: EPA)
09:18, 16 NovROMA ZGT

(ANSA) - Após Nova York, os estados de Washington e de Michigan também anunciaram uma série de novas medidas restritivas para tentar conter o avanço da pandemia de coronavírus Sars-CoV-2, já que ambos os locais viram os números da crise sanitária dobrar em poucas semanas.

O governador de Washington, Jay Inslee, anunciou novas regras pelas próximas quatro semanas, pois a localidade "tem mais de dois mil casos por dia na semana e uma média de casos que é o dobro de duas semanas atrás".

"Isso nos coloca em uma situação mais perigosa do que nós estávamos em março. E isso significa, infelizmente, que chegou a hora de reinstaurar restrições nas atividades por todo o estado para preservar o bem-estar público, e salvar vidas", disse em comunicado oficial. O governo ainda anunciou ainda que dará cerca de US$ 50 milhões para as empresas "mitigarem" os efeitos econômicos da ação e outros US$ 20 milhões para as indústrias.

Entre as principais regras, estão a proibição de encontros familiares e de amigos em locais fechados com pessoas que não morem na mesma residência, a não ser que tenham feito uma quarentena de 14 dias, a proibição de servir à mesa em restaurantes e bares em ambientes fechados (áreas abertas com, no máximo, cinco pessoas por mesa) e restrições para celebrações religiosas em 20% da capacidade (ou 200 pessoas) em templos.

Já academias devem fechar as atividades indoor e as atividades ao ar livre podem ter no máximo cinco pessoas.

Em pronunciamento, a governadora de Michigan, Gretchen Whitmer, disse que o estado "está à beira do precipício, no pior momento da pandemia" e que, o pior cenário previsto pelo comitê de saúde local, prevê mais de mil mortes por semana se nada for feito.

Por isso, pelas próximas três semanas, estão proibidas as aulas presenciais de escolas de ensino médio e universidades (que deverão ter apenas aulas a distância), os restaurantes e bares devem permanecer fechados para atendimento presencial em espaços fechados (apenas áreas abertas, entregas e retiradas) bem como cinemas, estádios, arenas, bingos, cassinos, locais de jogos e teatros.

Também foi solicitado às empresas que façam o máximo possível para que seus funcionários trabalhem de casa e estão vetadas as práticas de exercícios e de esportes em grupo - apenas liberados os esportes profissionais. Foram limitados os encontros de familiares e amigos para eventos em espaços abertos a 25 pessoas, mesmo número permitido para funerais.

Os anúncios ocorrem após uma semana de ritmo intenso de contaminações pela Covid-19 nos Estados Unidos. De acordo com os dados da Universidade Johns Hopkins, o país ultrapassou a marca de 11 milhões de casos exatamente uma semana após ter batido os 10 milhões de contaminados. Até essa segunda-feira (16), o território contabiliza ainda 246.224 mortos pela doença. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA