Morre jovem ferida pela polícia durante protestos em Myanmar

Mya Khaing tinha 20 anos e manifestantes falam em disparo letal

Mya Khaing tinha 20 anos e morreu após ser ferida na cabeça (foto: EPA)
08:16, 19 FevYANGON ZGT

(ANSA) - Morreu nesta sexta-feira (20) a jovem de 20 anos que foi ferida pela polícia de Myanmar durante uma manifestação no dia 9 de fevereiro contra o golpe militar, informou o hospital onde ela estava internada.

"Confirmamos que a morte ocorreu às 11h (hora local)", diz ainda a nota da instituição localizada na capital Nay Pyi Daw.

A jovem foi identificada como Mya Thwe Thwe Khaing e, segundo os policiais, ela foi atingida por uma bala de borracha. No entanto, grupos de direitos humanos afirmam que ela foi alvo de um tiro de arma letal. Em entrevista à agência AFP, os familiares informaram que vão "buscar por justiça".

Essa é a primeira morte confirmada nos protestos que invadiram as ruas de Myanmar desde o dia 1º de fevereiro, quando as Forças Armadas deram um golpe de Estado e prenderam tanto a líder "de facto" do país, Aung San Suu Kyi, como o presidente Win Myint.

A princípio, os militares afirmaram que deram o golpe porque houve "fraude eleitoral" no pleito de 8 de dezembro, quando o partido de Suu Kyi, o Liga Nacional para a Democracia (NLD), venceu com mais de 70% dos votos.

Depois, porém, os dois políticos foram acusados de outros "crimes". No caso da Nobel da Paz de 1991, uma violação de regras comerciais por importar rádios de comunicação e por violar a "lei de gestão de catástrofes ambientais" pela pandemia de Covid-19. Este último também foi imputado a Myint, que ocupa a função de presidente porque Suu Kyi não pode assumir o cargo por ter filhos com um estrangeiro.

Diariamente, milhares de pessoas protestam contra a ação militar e pedem a restauração da democracia. A pressão internacional, com exceção da China, também segue no mesmo sentido - com países já anunciando sanções contra as Forças Armadas. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA