Papa se confessa durante liturgia na Basílica de São Pedro

Francisco também confessou sete fiéis na igreja

Papa se confessa durante liturgia na Basílica de São Pedro
Papa se confessa durante liturgia na Basílica de São Pedro (foto: ANSA)
18:15, 17 MarCIDADE DO VATICANO ZAR

(ANSA) - O papa Francisco realizou nesta sexta-feira, dia 17, em plena Basílica de São Pedro, no Vaticano, a confissão de sete pessoas. No entanto, antes de absolver os penitentes e os oferecer conforto, o próprio Pontífice confessou.

Durante a Liturgia Penitencial na igreja da Santa Sé, o líder da Igreja Católica, com as vestes roxas e usando a mitra e a cruz pastoral que pertenciam ao Papa Paulo VI, se ajoelhou no confessionário, onde ficou por alguns minutos.

Logo após, Jorge Mario Bergoglio ficou cerca de 50 minutos no mesmo confessionário, mas desta vez para administrar o sacramento da penitência a sete fiéis, três homens e quatro mulheres, todos laicos. A celebração na basílica antecipou o momento penitencial chamado "24 horas para o Senhor", promovido pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização.

Neste ano, a iniciativa tem o tema "Misericordia io voglio" ("Misericórdia, eu quero", Mt 9,13) e acontecerá em diversas dioceses de todo o mundo nos dias 24 e 25 deste mês, na véspera do quarto domingo da Quaresma.

Durante a liturgia, Francisco falou sobre a importância de se confessar e de como os confessionários das igrejas devem estar sempre abertos para o povo. "Confessar é a prioridade pastoral: por favor, que não existam aqueles cartazes 'se confessa segunda e terça-feira, de tal hora a tal hora'. Confessa-se todas as vezes que lhe permitem, e se você está ali rezando, deixe o confessionário aberto, que é o coração de Deus aberto", afirmou o Papa.

O Pontífice também tocou em um assunto para muitos delicado ou real apenas em filmes de terror: o exorcismo. Segundo Bergoglio, se o confessor se deparar com pessoas "com verdadeiros distúrbios espirituais, que podem ser em boa parte psíquicos e assim devem ser conferidos através de uma colaboração com as ciências humanas, [ele] não deverá hesitar em procurar aqueles que, nas dioceses, são encarregados deste delicado e necessário dever, ou seja, os exorcistas".

No entanto, o líder católico ressaltou que esses profissionais "devem ser escolhidos com muito cuidado, muita prudência". No mundo, existem um pouco mais de 400 padres exorcistas reconhecidos, dos quais 240 operam na Itália. Desde 2014, eles estão reunidos em uma associação internacional reconhecida pelo Vaticano, a Associação Internacional de Exorcistas (AIE). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA