Papa canoniza Jacinta e Francisco, os pastorinhos de Fátima

Canonização ocorreu em igreja erguida em memória dos jovens

Papa canoniza Jacinta e Francisco, os pastorinhos de Fátima (foto: ANSA)
14:51, 15 MaiFATIMA ZGT

(ANSA) - O papa Francisco canonizou neste sábado (13) os pastorinhos de Fátima, Jacinta e Francisco, em missa celebrada na cidade portuguesa para milhares de pessoas. Com isso, eles se tornaram os mais jovens santos da Igreja Católica na história.

Jorge Mario Bergoglio leu a fórmula canônica que inscreve os dois no registro dos santos católicos em frente ao santuário que lembra as aparições de Nossa Senhora iniciadas no dia 13 de maio de 1919, as quais foram presenciadas também pela prima deles, Lucia.

Os dois pastorinhos foram beatificados pelo então papa João Paulo II, em 13 de maio de 2000, e a canonização precisava ainda da comprovação de um milagre, fato que ocorreu em 23 de março deste ano.

O milagre dos pastorinhos ocorreu no menino brasileiro Lucas Baptista, que foi "milagrosamente" curado após uma queda de 6,5 metros de altura, em 2013. O paranaense teve duas paradas cardíacas e uma grande perda de massa encefálica. O menino não tem nenhum tipo de lesão por conta do grave acidente.

Os pais e o menino Lucas estão presentes na missa celebrada por Francisco neste sábado em Fátima.

Ao lado de Lucia, eles assistiram as supostas aparições da Virgem Maria em 1917, reconhecidas pela Igreja Católica oficialmente em 1930.

Francisco e Jacinta morreram, respectivamente, em 1919, aos 10 anos, e em 1920, aos nove. Já Lucia se tornou freira e viveu até 2005, aos 97 anos, mas seu processo de beatificação ainda está na fase diocesana.

Luta contra indiferença

Durante a missa em que canonizou os pastorinhos de Fátima, Francisco pediu uma "mobilização" contra a indiferença no mundo.

"Ao pedir e exigir que qualquer um de nós o cumprimento dos deveres do próprio estado no céu, como diz a irmã Lucia, ela põe aqui uma verdadeira e própria mobilização geral contra essa indiferença que congela os corações e agrava a nossa miopia. Não queremos ser uma esperança abortada. A vida só pode sobreviver graças à generosidade de outra vida", disse o Pontífice durante a homilia.

"Não poderia vir aqui e eu suplico para todos os meus irmãos de batismo e de humanidade, em particular pelos doentes, pelos presos e desempregados, pelos pobres e pelos abandonados: rezemos a Deus com a esperança de que ele escute os homens e nos voltemos para os homens com a certeza que Deus os socorre", acrescentou.

Ao fim da homilia, Jorge Mario Bergoglio pediu a "proteção de Maria" e que os cristãos "redescubram o rosto bonito e jovem da Igreja".

A agenda oficial do Papa neste segundo e último dia de viagem a Portugal inclui ainda uma visita aos doentes locais. Ele retorna para a Itália ainda neste sábado. (ANSA)

(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA