Igreja reconhece milagre atribuído ao papa Paulo VI

Giovanni Battista Montini deve virar santo já em 2018

greja reconhece milagre atribuído ao papa Paulo VI
greja reconhece milagre atribuído ao papa Paulo VI (foto: ANSA)
18:46, 06 FevROMA ZLR

(ANSA) - Os bispos e cardeais da Congregação para as Causas dos Santos aprovaram nesta terça-feira (6), por unanimidade, o reconhecimento de um milagre atribuído a Giovanni Battista Montini, o papa Paulo VI (1897-1978).

Com isso, falta apenas o aval de Francisco para que o religioso italiano seja canonizado. Acredita-se que o Pontífice possa assinar o decreto autorizando a santificação de Paulo VI já nos próximos dias.

O milagre de Montini, que governou a Igreja Católica entre 1963 e 1978, teria ocorrido em dezembro de 2014, no nascimento de Amanda, menina italiana que veio ao mundo após apenas 26 semanas de gravidez, algo em torno de seis meses e meio.

Segundo a Igreja, a placenta da mãe se rompeu com 13 semanas de gestação, e os médicos a aconselharam a interromper a gravidez, que poderia provocar danos à sua própria saúde. No entanto, ela, originária da província de Verona, ouviu a sugestão de uma amiga e rezou no Santuário das Graças de Brescia, lugar de devoção a Montini. A menina nasceu saudável.

Paulo VI foi beatificado em 19 de outubro de 2014, em uma cerimônia na praça São Pedro, no fim do Sínodo Extraordinário dos Bispos para a Família. Acredita-se que sua canonização possa ocorrer ainda em 2018, provavelmente em outubro.

Montini é considerado o primeiro pontífice "moderno" da Igreja e abriu suas portas para as exigências da vida contemporânea, apoiando a atualização das normas católicas aos novos tempos. Por outro lado, era crítico ferrenho da pílula anticoncepcional.

Além disso, foi a primeiro a fazer longas viagens internacionais, passando por países como Índia, Uganda, Colômbia, Filipinas e Austrália, e o primeiro a visitar a "Terra Santa". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en