Igreja aceita ressarcir vítimas de pedofilia na Austrália

Plano foi proposto pelo governo e aprovado pela Câmara

O cardeal George Pell é réu por pedofilia na Austrália
O cardeal George Pell é réu por pedofilia na Austrália (foto: EPA)
15:22, 01 JunSYDNEY ZLR

(ANSA) - A Igreja Católica da Austrália aderiu a um plano do governo para indenizar vítimas de pedofilia no país em até 150 mil dólares australianos (cerca de R$ 440 mil, segundo a cotação atual) por pessoa.

A medida coloca pressão para outras instituições também aderirem ao programa. O plano é promovido pelo governo federal e foi aprovado pela Câmara. Além da Igreja, ele já recebeu a adesão da arquidiocese anglicana de Melbourne, do Exército da Salvação e dos escoteiros.

A comissão nacional de inquérito sobre pedofilia estabeleceu que 7% dos padres de escolas católicas foram acusados de abusos contra menores desde 1950. Em algumas dioceses, no entanto, esse número chega a 15%.

"Os sobreviventes têm direito à Justiça e à cura, e muitos deles vieram a público corajosamente para contar suas histórias", declarou o arcebispo Mark Coleridge, presidente da Conferência Episcopal da Austrália.

A decisão da Igreja chega no momento em que um de seus principais membros, o cardeal George Pell, é réu na Austrália por pedofilia. Prefeito licenciado da Secretaria de Economia do Vaticano, ele é acusado por casos ocorridos nos anos 1970 e 1990.

Recentemente, o jornal da Arquidiocese de Sydney publicou anúncios pedindo doações para ajudar a pagar as despesas legais de Pell. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA