Vaticano julgará padre diplomata por pornografia infantil

Carlo Capella pode pegar entre um a cinco anos de cadeia

Cúpula da Basílica de São Pedro, no Vaticano
Cúpula da Basílica de São Pedro, no Vaticano (foto: ANSA)
10:58, 09 JunCIDADE DO VATICANO ZLR

(ANSA) - O Tribunal do Estado da Cidade do Vaticano tornou réu o padre Carlo Alberto Capella, ex-funcionário da Nunciatura Apostólica em Washington, nos Estados Unidos, acusado de posse e difusão de pornografia infantil.

O sacerdote e seu advogado foram notificados neste sábado (9), e o processo deve começar no próximo dia 22 de junho. Capella está detido no Vaticano desde 7 de abril e teria cometido os crimes durante uma visita a Windsor, no Canadá.

O padre trabalhava na Nunciatura Apostólica (espécie de embaixada da Igreja Católica) em Washington e é acusado de possuir e divulgar grandes quantidades de material de pornografia infantil. Ele já era alvo de um mandado de prisão do Canadá, mas o Vaticano preferiu não extraditá-lo.

Se for condenado, Capella, ex-integrante do alto escalão diplomático da Igreja, pode pegar uma pena de um a cinco anos de prisão e multa de até 50 mil euros. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA