Sínodo não deve trazer mudanças sobre homossexualidade

Relatório final da reunião episcopal será votado neste sábado

Abertura do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, em 3 de outubro
Abertura do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, em 3 de outubro (foto: ANSA)
16:29, 26 OutCIDADE DO VATICANO ZLR

(ANSA) - O Sínodo dos Bispos sobre a Juventude, que votará seu relatório final neste sábado (27), não deve introduzir mudanças em assuntos como homossexualidade, sacerdócio e participação das mulheres na vida da Igreja.

Todos esses temas, incluindo casamento gay e aborto, motivaram debates intensos na assembleia episcopal, mas o próprio Vaticano descartou novidades na doutrina católica.

"Viemos aqui para falar de jovens, e o fizemos. Esse Sínodo não foi convocado para debater questões doutrinárias", afirmou o presidente da Conferência Episcopal da Irlanda, Eamon Martin, ao ser questionado sobre novidades a respeito de homossexualidade, sacerdócio e presença das mulheres.

O documento preparatório para o Sínodo, divulgado em junho passado, é o primeiro arquivo da Igreja Católica a usar o termo "LGBT", decisão que foi criticada pelo arcebispo da Filadélfia, Charles Chaput, logo nos primeiros dias da assembleia.

"Não existe católico LGBTQ, católico transgênero ou católico heterossexual, como se essas designações descrevessem comunidades distintas, mas de integridade igual dentro da verdadeira comunidade eclesiástica, o corpo de Jesus Cristo", declarou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA