Vaticano abre arquivos do pontificado de Pio XII

Eugenio Pacelli foi acusado de fazer vista grossa ao Holocausto

Foto de arquivo mostra papa Pio XII com crianças mutiladas na guerra
Foto de arquivo mostra papa Pio XII com crianças mutiladas na guerra (foto: ANSA)
09:51, 20 FevCIDADE DO VATICANO ZLR

(ANSA) - O Vaticano apresentou nesta quinta-feira (20) a abertura dos documentos de seu arquivo secreto relativos ao pontificado de Pio XII (1939-1958), já acusado de não ter se oposto à perseguição de judeus pelos nazistas.

A iniciativa havia sido anunciada pelo papa Francisco há cerca de um ano, e os arquivos estarão disponíveis para historiadores a partir de 2 de março, aniversário da eleição de Eugenio Pacelli para o trono de Pedro.

"A Igreja não tem medo da história", garantiu o cardeal José Tolentino de Mendonça, arquivista e bibliotecário do Vaticano. "Colocando à disposição dos estudiosos esse corpo de documentos, a Igreja segue a linha de um secular compartilhamento com os especialistas, sem excluir ninguém por razões ideológicas, de fé ou nacionalidade. Todos são bem-vindos", disse.

Segundo o prefeito do Arquivo Apostólico, monsenhor Sergio Pagano, os documentos serão capazes de "esclarecer melhor" e "contextualizar" aspectos do pontificado de Pio XII, além de derrubar algumas "lendas". "Trabalhamos para que a fumaça se dissipe", acrescentou.

Pacelli é acusado de ter se omitido perante os horrores do Holocausto, especialmente por não ter condenado publicamente a matança de judeus na Segunda Guerra Mundial. Já o Vaticano alega que ele promoveu uma diplomacia de bastidores para salvar o maior número possível de pessoas, inclusive abrigando judeus em igrejas e conventos na Itália. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA