Papa agradece enfermeiros por ‘heroísmo’ durante pandemia

Declaração do Pontífice celebra Dia Internacional da Enfermagem

Declaração do Pontífice celebra Dia Internacional da Enfermagem
Declaração do Pontífice celebra Dia Internacional da Enfermagem (foto: )
14:34, 12 MaiCIDADE DO VATICANO ZCC

(ANSA) - Na data em que é celebrado o "Dia Internacional da Enfermagem", o papa Francisco fez uma oração por todos os enfermeiros e enfermeiras, que são exemplos de "heroísmo" na luta contra a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e pediu a valorização da profissão neste "momento histórico".

"Hoje é o dia das enfermeiras. Ontem, enviei uma mensagem e hoje rezemos pelos enfermeiros e enfermeiras, homens, mulheres, meninos e meninas que têm esta profissão, que é mais do que uma profissão, é uma vocação, uma dedicação", disse o Pontífice durante a missa na Casa Santa Marta.

"Que o Senhor os abençoem. Nesta época de pandemia, dão o exemplo de heroísmo, e alguns deram sua vida. Rezemos pelas enfermeiras e os enfermeiros", acrescentou.

Segundo o argentino, esses profissionais, assim como os obstetras, "têm direito e merecem ser mais valorizados e envolvidos nos processos que dizem respeito à saúde das pessoas e da comunidade".

A declaração foi dada no contexto do Ano Internacional dos Profissionais da Enfermagem e Obstetrícia celebrado em 2020 e proclamado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A data recorda o bicentenário do nascimento de Florence Nightingale, "que deu início à enfermagem moderna".

O Santo Padre ressaltou que "neste momento histórico" foi possível redescobrir "o papel de importância fundamental" dos enfermeiros.

"Diariamente assistimos ao testemunho de coragem e sacrifício dos profissionais de saúde, que, com profissionalismo, abnegação, senso de responsabilidade e amor ao próximo, prestam assistência às pessoas afetadas pelo vírus, colocando em risco a própria saúde", afirmou.

O Papa ainda rezou por todos os que perderam a vida a cuidar dos pacientes contaminados pela Covid-19 e por seus familiares, além de lembrar que, em vários países, a pandemia evidenciou a falta de assistência sanitária.

"Apelo aos responsáveis das nações de todo o mundo para que invistam neste bem comum primário que é a saúde, reforçando as estruturas e empregando mais enfermeiros, para se garantir a todos um atendimento adequado, no respeito pela dignidade de cada pessoa", apelou.

Francisco destacou que os profissionais, não só têm conhecimento técnico-científico, mas estão "constantemente iluminados pela relação humana e humanizadora com o doente", e classificou os enfermeiros como "os santos da porta ao lado".

"Vocês enfermeiros e enfermeiras estão próximas das pessoas nos momentos cruciais de sua existência, do nascimento à morte, doença e recuperação, para ajudar a superar as situações mais traumáticas", acrescentou.

Por isso, o líder da Igreja Católica defendeu que "é necessário elevar o perfil profissional, fornecendo instrumentos adequados para a formação a nível científico, humano, psicológico e espiritual, bem como melhorar as condições de trabalho e garantir os direitos, para que possam desempenhar com toda a dignidade o seu serviço".

Por fim, o religioso agradeceu todos os obstetras, responsáveis por ajudar as mulheres grávidas a dar à luz, pelo trabalho estar "entre os mais nobres que há", já que está ligado "diretamente ao serviço da vida e da maternidade". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA