Papa Francisco faz apelo por fim de conflito na Etiópia

Confrontos no país já deixou mais de 600 mortos

Confrontos no país já deixou mais de 600 mortos
Confrontos no país já deixou mais de 600 mortos (foto: EPA)
17:33, 27 NovVATICANO ZCC

(ANSA) - O papa Francisco fez um apelo nesta sexta-feira(27) para o fim do conflito entre o governo federal da Etiópia e o estado regional de Tigray, no norte do país, que já deixou mais de 600 mortos e provocou a fuga de milhares.

"O Santo Padre acompanha a notícia vinda da Etiópia, onde há várias semanas se desenrola um confronto militar que atinge a região de Tigray e arredores. Por causa da violência, centenas de civis morreram e dezenas de milhares de pessoas são forçadas a fugir de suas casas para o Sudão", lembrou o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni.

Segundo o assessor da sala de imprensa da Santa Sé, "os confrontos, que se intensificaram dia a dia, já estão causando uma grave situação humanitária".

Desta forma, o Pontífice fez um apelo para todos os fiéis rezarem pela Etiópia e para todas as partes envolvidas no conflito encerrarem a violência, na tentativa de proteger a vida, especialmente dos civis, e para as populações encontrarem a paz.

No comunicado, Bruni também recordou que o Papa referiu-se ao caos na região no último dia 8 de novembro, durante o ângelus, rejeitando "a tentação do confronto armado" e pedindo orações, o respeito fraterno, o diálogo e a solução pacífica das discórdias".

Ontem (26), o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, chegou a informar que o Exército do país irá lançar o "ataque final" da operação de guerra contra os rebeldes de Tigray.

O confronto já se arrasta por semanas, tendo em vista que os rebeldes são contrários ao acordo de paz firmado com a Eritréia e também protestam contra o adiamento das eleições gerais por conta da pandemia do novo coronavírus. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA