Argentina envia avião para buscar vacinas na Rússia

300 mil doses da Sputnik V chegarão ao país nesta semana

Avião da Aerolíneas Argentinas decolou de Buenos Aires na noite de 22 de dezembro
Avião da Aerolíneas Argentinas decolou de Buenos Aires na noite de 22 de dezembro (foto: EPA)
10:04, 23 DezBUENOS AIRES ZLR

(ANSA) - Um avião da companhia estatal Aerolíneas Argentinas decolou de Buenos Aires na noite da última terça-feira (22) para buscar na Rússia o primeiro lote da vacina anti-Covid Sputnik V.

A aeronave deve retornar à capital argentina na próxima quinta (24), véspera de Natal, com 300 mil unidades do imunizante, que já está sendo aplicado em grupos prioritários na Rússia. O carregamento servirá para vacinar 150 mil pessoas na Argentina.

"Trata-se de um esforço logístico sem precedentes e que requer uma operação mista. As vacinas estão sendo embaladas em caixas térmicas da empresa DHL e que mantêm a temperatura em 18ºC abaixo de zero", disse no Twitter o presidente da Aerolíneas Argentinas, Pablo Ceriani.

O governo do presidente Alberto Fernández já tem um acordo com Moscou para receber 20 milhões de doses até fevereiro, o que servirá para imunizar 10 milhões de pessoas, pouco mais de 20% da população do país.

Segundo monitoramento da Universidade Johns Hopkins, dos EUA, a Argentina tem 1,55 milhão de casos do novo coronavírus e 42,25 mil mortes.

A vacina Sputnik V foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia, em parceria com os ministérios da Saúde e da Defesa, e utiliza adenovírus inativos contendo o gene responsável pela codificação da proteína "spike" para gerar resposta imune contra o Sars-CoV-2.

De acordo com o Instituto Gamaleya, o imunizante tem 91,4% de eficácia na prevenção da Covid-19 e 100% contra casos graves. Os dados ainda precisam ser revisados de forma independente e publicados em revista científica. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en