Órgão anticorrupção denuncia Macri por enriquecimento ilícito

Escritório menciona transferências não declaradas em seu mandato

Mauricio Macri foi presidente da Argentina entre 2015 e 2019
Mauricio Macri foi presidente da Argentina entre 2015 e 2019 (foto: ANSA)
11:04, 18 JunBUENOS AIRES ZRS

(ANSA) - O Escritório Anticorrupção da Argentina denunciou o ex-presidente Mauricio Macri por um suposto enriquecimento ilícito em referência a transferências milionárias não declaradas no início de seu mandato para um "blind trust", empresa administrada em seu nome por terceiros.

De acordo com o órgão governamental, citado pelo jornal "Clarin", foram descobertas várias operações realizadas através de uma empresa identificada como Agropecuaria del Guayquiraro (Agro GSA), que teria "permitido ao 'Blind Trust'" adquirir por volta de US$ 569 mil entre 2017 e 2020.

Ainda segundo o periódico, em fevereiro do ano passado, após o término do contrato fiduciário, a quantia arrecadada foi reintegrada para Macri.

A acusação alega que ex-chefe de Estado "maliciosamente" omitiu declarar "sua real participação na empresa na declaração fiscal de 2015", ano em que assumiu a presidência do país.

Macri se tornou o 53º presidente da história da Argentina em dezembro de 2015 e deixou o poder quatro anos depois, dando lugar a Alberto Fernández. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA