Bolívia convoca eleições gerais para 6 de setembro

Presidente interina firmou decreto após pressão de partidos

Em meio a pandemia, Bolívia terá eleições em setembro após pressão de governistas e opositores (foto: ANSA)
11:23, 22 JunLA PAZ ZGT

(ANSA) - A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, firmou um decreto marcando as eleições gerais do país para o dia 6 de setembro, mesmo com a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) ainda em evolução.

A conservadora estava sendo bastante pressionada a marcar a data tanto por governistas como por opositores e foi alvo de críticas até mesmo do Tribunal Supremo de Justiça do país por demorar a fazer o decreto.

"Eu recebi pressões para fazer as eleições em 6 de setembro, no meio da pandemia. Tenho um país sofrendo e muitos políticos e autoridades que pedem por eleições o mais rápido possível", disse em nota.

A representante ainda pediu que o ex-presidente Evo Morales, o candidato Luis Arce e o ex-presidente e atual candidato Carlos Mesa "assumam com coragem a responsabilidade de quererem assim, insistentemente, disputar as eleições no meio de uma pandemia".

Desde a saída de Morales do poder, em novembro do ano passado, após semanas de protesto por conta de sua quarta reeleição, Áñez está no cargo de presidente - com o apoio dos militares bolivianos.

A Bolívia registra, até esta segunda-feira (22), 22.388 casos confirmados de Covid-19 e 773 mortes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA