Evo Morales retorna nesta segunda-feira para Bolívia

Cerca de 800 carros devem acompanhar o ex-presidente em sua volta

Evo Morales fará carreata de dois dias até Chimoré, de onde partiu há um ano para o exílio (foto: EPA)
11:53, 09 NovBUENOS AIRES ZGT

(ANSA) - O ex-presidente boliviano Evo Morales voltou ao seu país natal nesta segunda-feira (9) depois de passar quase um ano exilado. O político atravessou a fronteira terrestre entre a cidade argentina de La Quiaca e foi recebido por dezenas de apoiadores na boliviana Villazon.

Junto a Morales, voltou também o ex-vice-presidente Alvaro Garcia Linera.

Pouco antes de efetuar o retorno, o ex-mandatário expressou sua emoção com o momento.

Neste domingo (8), Morales publicou um longo vídeo em suas redes sociais agradecendo os argentinos por seu quase um ano de asilo.

O ex-mandatário lembrou que "vários grupos de poder executaram um violento golpe de estado" no fim do ano passado após sua eleição para um quarto mandato presidencial e que, "nessas circunstâncias e para evitar que esses grupos antidemocráticos atacassem a maioria do povo, eu me vi obrigado a renunciar".

Agradecendo o apoio dos presidentes do México, Andrés Manuel López Obrador, e da Argentina, Alberto Fernández, porque "sem a ajuda deles", Morales acredita que não teria saído com vida da Bolívia, o ex-presidente ainda afirmou que sempre terá a Argentina em seu coração por tê-lo protegido por cerca de um ano.

Morales deixou Buenos Aires na manhã deste domingo com destino a Jujuy. De lá, seguiu de carro até La Quiaca, que fica na fronteira entre os dois países. À noite, o ex-presidente e Fernández fizeram um jantar especial com membros das duas nações, em que o boliviano agradeceu pessoalmente a hospitalidade recebida.

Segundo assessores, Morales e cerca de 800 carros com militantes do Movimento para o Socialismo (MAS) deverão fazer uma rota de dois dias com diversas pausas até Chimoré, no estado de Cochabamba, de onde partiu no dia 11 de novembro de 2019 para seu exílio - primeiro no México e depois na Argentina. No dia 12 de novembro, está previsto um encontro com as populações indígenas.

A volta do ex-presidente ocorre um dia após Luis Arce (MAS) ter tomado posse como novo chefe de Estado da Bolívia, após o país viver por cerca de um ano sob um governo interino liderado por Jeanine Añez com o apoio dos militares. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA