Presidente da CNBB diz que aborto 'não é resposta' para zika

D.Rocha fez declaração em lançamento da Campanha da Fraternidade

CNBB voltou a condenar aborto em casos de microcefalia
CNBB voltou a condenar aborto em casos de microcefalia (foto: AP)
20:48, 10 FevSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic) lançaram nesta quarta-feira de cinzas (10) a Campanha da Fraternidade com enfoque na questão do saneamento básico.

 

Durante o lançamento, o presidente da CNBB, dom Sergio da Rocha, voltou a criticar o aborto para casos de microcefalia causada por zika, dizendo que essa "não é a resposta" para o problema.

 

"Nós precisamos valorizar a vida em qualquer situação e qualquer condição que ela esteja. Menor qualidade de vida não significa menor direito a viver, com menos dignidade humana", ressaltou.

 

Na semana passada, o comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad al-Hussein, recomendou que os governos autorizassem o aborto nos casos de microcefalia durante a gravidez.

 

A Campanha da Fraternidade é realizada durante o período da Quaresma, os 40 dias que antecedem a Páscoa, e sempre aborda temas para a discussão da sociedade, desde as pequenas comunidades cristãs até o Congresso Nacional - onde haverá uma audiência pública sobre o tema no dia 15 de fevereiro.

 

O tema "Casa comum, nossa responsabilidade" quer abordar tanto a conscientização das pessoas sobre a importância do saneamento básico para a saúde da população bem como cobrar de prefeituras e governos melhorias no setor.

 

No lançamento da Campanha, ocorrido nesta manhã, os bispos explicaram que o tema já estava pronto há dois anos, mas que no atual momento, com a disseminação da zika, da chikungunya e a dengue, ele torna-se ainda mais urgente.

 

"Infelizmente, a nossa casa comum está sendo hoje assolada pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças, e a nossa família comum está sofrendo e morrendo por causa das enfermidades transmitidas por ele. E a falta de saneamento básico tem contribuído para a proliferação dos mosquitos", afirmou o presidente da CNBB.

 

Participando da solenidade, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, reconheceu as carências do saneamento básico no país e destacou que "por mais que nos últimos 11 anos tivemos melhorias, que não tivemos em outras épocas do Brasil, ainda deixamos a desejar".

 

Essa é a quarta vez na história que a CNBB faz a Campanha da Fraternidade em linha com as outras religiões cristãs. Anteriormente, a parceria ocorreu em 2000, com o tema "Dignidade humana e paz", em 2005 ("Solidariedade e paz") e 2010 ("Economia e vida"). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA