Brasil iniciará vacinação 5 dias após aprovação da Anvisa

Ministério da Saúde respondeu questionamento do STF

Ministro da Saúde enviou datas conforme solicitação do STF
Ministro da Saúde enviou datas conforme solicitação do STF (foto: EPA)
17:47, 15 DezSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - O Ministério da Saúde informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a vacinação contra o coronavírus Sars-CoV-2 começará no país cinco dias após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dar a autorização para o uso do imunizante - seja o registro emergencial ou definitivo.

Em manifestação enviada nesta quarta-feira (15), o órgão ainda afirma que os grupos prioritários citados no plano nacional de vacinação devem ser imunizados em quatro meses, sendo que essa ação é de responsabilidade dos estados e dos municípios.

O documento é uma resposta ao pedido do ministro Ricardo Lewandowski que questionou o Ministério por não dar uma data nem de início nem de fim da campanha no plano apresentado no último sábado (12). O governo argumenta que não tem como dar uma data precisa porque depende de todo o trâmite técnico da Anvisa.

O plano de vacinação gerou polêmica na última semana por incluir assinaturas de 36 cientistas que informaram que sequer tinham visto o documento e por não dar datas para a vacinação. Outra dúvida sobre o planejamento é que o governo dá como "garantidas" 300 milhões de doses das vacinas, mas ainda faltam fechar os acordos com a Pfizer e BioNTech e também a informação de quando serão distribuídas as vacinas da iniciativa Covax Facility.

O governo apostou a maior parte da compra na parceria firmada entre a Fundação Oswaldo Cruz e a farmacêutica AstraZeneca, que produz o imunizante da Universidade de Oxford. No entanto, a vacina ainda está distante de conseguir a aprovação em qualquer país por conta de problemas na fase final de testes clínicos. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA