Anvisa aprova uso emergencial de vacina da Janssen

Governo federal comprou 38 milhões de doses do imunizante

Imunizante contra a Covid-19 tem eficácia de 66,9%
Imunizante contra a Covid-19 tem eficácia de 66,9% (foto: EPA)
16:19, 31 MarSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (31) o pedido de uso emergencial da vacina contra o novo coronavírus Sars-CoV-2 desenvolvida pela Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson.

A decisão foi tomada durante reunião que contou com a presença do diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, e dos diretores Meiruze Sousa Freitas, Cristiane Rose Jourdan Gomes, Alex Machado Campos, Rômison Rodrigues Mota, entre outros.

A utilização do imunizante recebeu aprovação unânime - os quatro diretores e o presidente da agência foram favoráveis ao pedido e seguiram a recomendação da área técnica da Anvisa, com base em uma avaliação de que os benefícios da vacina superam os riscos.

"Esta relatoria conclui que os especialistas da Anvisa avaliaram que vacina atende às expectativas da agência quanto aos requisitos de qualidade, segurança e eficácia", concluiu a relatora Freitas.

A Anvisa recebeu a solicitação no último dia 24 de março, depois de ter concedido os certificados de Boas Práticas de Fabricação ao imunizante, em janeiro e fevereiro.

O governo brasileiro já manifestou intenção de compra de 38 milhões de ampolas da vacina de dose única da Janssen. A entrega desses imunizantes tem uma previsão inicial no final do ano, sem data específica.

O imunizante pode ser aplicado em pessoas com mais de 18 anos, com ou sem comorbidades. A eficácia geral demonstrada pela farmacêutica foi de 66,9%. Quando considerados casos graves, a eficácia comprovada foi de 76,7% após 14 dias e 85,4% depois de 28 dias.

Esta foi a quinta vacina aprovada pela Anvisa, entre aquelas que obtiveram registro e as permitidas em caráter emergencial.

No Brasil, até agora, somente as vacinas da Pfizer e a da AstraZeneca/Oxford já receberam o registro definitivo para aplicação na população brasileira. A CoronaVac, em produção pelo Instituto Butantan, por sua vez, recebeu a autorização apenas para uso emergencial. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA