Italiano é linchado por multidão até a morte em Honduras

Giorgio Scanu era acusado de assassinar um indigente

Frame de vídeo mostra multidão cercando casa de italiano em Honduras
Frame de vídeo mostra multidão cercando casa de italiano em Honduras (foto: Reprodução)
10:19, 09 JulTEGUCIGALPA ZLR

(ANSA) - Um cidadão italiano foi linchado até a morte por uma multidão que o acusava de homicídio em Santa Ana de Yusguare, cidade de 15 mil habitantes situada no sul de Honduras, na última quinta-feira (8).

Segundo a Polícia Nacional, uma "multidão enfurecida de cerca de 600 pessoas armadas invadiu uma propriedade privada com a aparente intenção de tirar a vida de um cidadão estrangeiro", o italiano Giorgio Scanu.

"Agentes policiais a bordo de uma radiopatrulha se dirigiram ao local, com o objetivo de mediar e explicar o procedimento da lei aos cidadãos, que não acataram o chamado à ordem e praticaram vários atos ilícitos que desencadearam a morte do senhor Giorgio Scanu, a quem responsabilizavam pela morte recente de um morador", diz um comunicado da Polícia Nacional.

O italiano era acusado de assassinar Juan de Dios Flores, de 74 anos, na última quarta-feira (7). De acordo com o jornal hondurenho El Heraldo, Flores era um indigente que teria sido morto a pedradas por ter cortado uma árvore na propriedade de Scanu, que, em forma de vingança, foi atacado com paus, facões e pedras e teve a casa e o carro incendiados.

Imagens veiculadas por emissoras hondurenhas mostram uma multidão cercando a residência do italiano e fumaça saindo de dentro do imóvel. Acusada de não ter agido para evitar o massacre, a Polícia Nacional disse que enviou uma equipe de investigadores a Yusguare para identificar os responsáveis pela morte de Scanu.

O Ministério das Relações Exteriores da Itália acompanha o caso e está em contato com a Embaixada na Guatemala, cuja área de atuação também engloba Honduras. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA