Número de mortes em terremoto no Haiti sobe para 227

Número de mortes em terremoto no Haiti sobe para 227 (foto: EPA)
18:00, 14 AgoROMA ZCC

(ANSA) - Subiu para 227 o número de mortos no terremoto de magnitude 7,2 na escala Ritcher registrado neste sábado (14) no Haiti, segundo balanço preliminar divulgado pela Defesa Civil do país.

As cidades de Les Cayes e Jérémie, no sudoeste da ilha, foram as mais afetadas pelo tremor, que pode ter deixado "milhares de pessoas mortas", de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

As autoridades haitianas afirmaram que centenas de cidadãos estão soterrados ou desaparecidos. A Defesa Civil do Haiti informou ainda que danos materiais foram registrados nas localidades de Jérémie e Les Cayes, conforme imagens divulgadas por testemunhas nas redes sociais.

 

Segundo moradores da região, prédios religiosos, escolas e residências foram danificados pelo terremoto. Em alguns vídeos é possível ver as ruínas de vários edifícios.

 

O forte terremoto foi registrado no Haiti e sentido em diversas áreas do Caribe, incluindo República Dominicana, Jamaica e Cuba.

De acordo com a USGS, o fenômeno foi sentido às 8h30 (horário local) e provocou um alerta de tsunami na região, que já foi descartado pelo Sistema de Alerta de Tsunami dos Estados Unidos.

O epicentro do sismo ocorreu a 8km da cidade de Petit Trou de Nippes, no oeste da ilha, a cerca de 150 km da capital Porto Príncipe, e a uma profundidade de 10 km.

O primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, decretou estado de emergência por 30 dias e lamentou as mortes. Em nota, ele explicou que mobilizou recursos do governo para ajudar os afetados.

"Meus sentimentos aos parentes das vítimas deste sismo que gerou tantas perdas de vidas humanas e materiais em vários departamentos [equivalente a estados] do país", escreveu Henry.

O mandatário ainda fez "um apelo ao espírito de solidariedade e compromisso de todos os haitianos", a fim de todos se unirem "para enfrentar esta situação dramática" que estão vivendo. "A união faz a força", acrescentou.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, por sua vez, disse estar "triste com o terremoto devastador" e reiterou que o país "continua sendo um amigo próximo e duradouro do povo haitiano", conforme anúncio feito pela Casa Branca.

Mais cedo, o democrata já havia autorizado uma "resposta americana imediata" para ajudar o Haiti, além de ter nomeado a diretora da Agência dos EUA para o desenvolvimento (Usaid), Samantha Power, como alta executiva para coordenar os esforços.

O novo terremoto acontece no momento em que o país ainda se recupera do sismo da mesma magnitude que devastou a capital haitiana e várias cidades em 12 de janeiro de 2010. Na ocasião, o tremor deixou mais de 230 mil mortos, 300 mil feridos, além de 1,5 milhão de desabrigados. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA