Número de mortes em terremoto no Haiti passa de 720

Papa Francisco reza por vítimas; Osaka doa prêmio de torneio

Forte tremor provocou devastação no Haiti (foto: EPA)
14:23, 15 AgoPORTO PRINCIPE ZCC

(ANSA) - O número de mortes no terremoto de magnitude 7,2 na escala Richter que atingiu o Haiti continua subindo: já são 724 vítimas e mais de 2,8 mil feridos, segundo dados divulgados pela Defesa Civil neste domingo (15).

De acordo com as autoridades haitianas, foram registradas 500 mortes no sul do país, 100 em Grand’Anse, 122 em Nippes e duas na região noroeste

O novo balanço é divulgado horas depois de um novo tremor de magnitude 5,9 atingir o território haitiano na noite de sábado, conforme revelado pelo Centro Sismológico Europeu do Mediterrâneo (EMSC, na sigla em inglês). O segundo sismo ocorreu a uma profundidade de 8 km.

Além das vítimas, que podem ser "milhares", os dois fenômenos deixaram muitas casas destruídas, bem como igrejas e outros edifícios históricos. As equipes de resgate estão trabalhando arduamente na esperança de encontrar sobreviventes.

Segundo as autoridades, muitos prédios desabaram, deixando centenas de pessoas soterradas. Moradores se mobilizaram para ajudar nos esforços de socorro.

"As primeiras intervenções, realizadas por socorristas profissionais mas também pela população, permitiram retirar muitas pessoas dos escombros", explicou a Defesa Civil.

As cidades de Cayes e Jérémie, no sudoeste da ilha, foram as mais afetadas pelo tremor. O primeiro-ministro haitiano, Ariel Henry, declarou estado de emergência por 30 dias e está auxiliando as áreas mais devastadas do país após o terremoto.

"Após o terremoto que causou enormes estragos no sul, em Grand'Anse e Nippes, já mobilizei toda a equipe do governo para tomar todas as medidas necessárias com urgência", escreveu o premiê no Twitter.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, "autorizou uma resposta americana imediata e nomeou a diretora da agência Usaid, Samantha Power, como alta executiva dos EUA para coordenar esse esforço".

Papa -

Durante a tradicional oração do Angelus, o papa Francisco rezou pelo povo haitiano atingido pelo tremor e expressou toda sua "solidariedade".

"Desejo expressar minha proximidade aos queridos povos atingidos pelo terremoto. Ao elevar minhas orações pelas vítimas ao Senhor, dirijo minha palavra de encorajamento aos sobreviventes, esperando que o interesse participativo da comunidade internacional se mova para com eles", disse o argentino.

Segundo o Pontífice, a "solidariedade de todos pode atenuar as consequências da tragédia".

Doação -

A tenista japonesa Naomi Osaka anunciou em suas redes sociais que vai doar a premiação que receber no WTA 1000 de Cincinnati, nesta semana, ao Haiti.

"Realmente machuca ver toda a devastação que está acontecendo no Haiti, e sinto que realmente não podemos perder tempo. Estou prestes a jogar um torneio esta semana e vou dar todo o prêmio em dinheiro para os esforços de ajuda ao Haiti. Eu sei que o sangue de nossos ancestrais é forte", escreveu a jogadora, que é filha de pai haitiano e mãe japonesa. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA