Após Chile, Colômbia fecha compra de vacina da Pfizer

País já garantiu cerca de 40 milhões de doses de 3 imunizantes

Colômbia deve começar a vacinar em fevereiro de 2021
Colômbia deve começar a vacinar em fevereiro de 2021 (foto: EPA)
11:50, 22 DezSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - O ministro da Saúde da Colômbia, Fernando Ruiz Gómez, informou nesta terça-feira (22) que seu país receberá 1,7 milhão de doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer e pela BioNTech em fevereiro de 2021, repercutiu a mídia local.

"Em fevereiro, vamos ter o primeiro lote de vacinas, que será da Pfizer e que terá 1,7 milhões de doses", disse aos jornalistas.

Ao todo, o governo e a farmacêutica norte-americana acordaram uma compra de 10 milhões de doses do imunizante, que será entregue em etapas ao longo de 2021.

Na última sexta-feira (18), Gómez havia informado através do site do Ministério que o país já garantiu 40 milhões de doses de vacinas, o que dará para proteger 20 milhões de colombianos no ano que vem. Além da compra da Pfizer, o governo comprou 10 milhões de doses da AstraZeneca, que desenvolve o imunizante em parceria com a Universidade de Oxford, e outras 20 milhões do programa Covax Facility, liderado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O plano colombiano de vacinação dividiu a primeira fase em três etapas: a primeira, tem como grupos prioritários os trabalhadores da área de saúde da linha de frente e maiores de 80 anos; a segunda é a população de 60 a 79 anos e trabalhadores da saúde de segunda e terceira linha; e a terceira será a população de 16 a 59 anos com comorbidades e professores.

Já a fase dois terá duas etapas: a primeira serão profissionais de casas de cuidados e pessoas com empregos e situações de risco; a última, será a população entre 16 e 59 anos sem comorbidades. Com essa previsão, a Colômbia deve terminar a vacinação total apenas em 2022, já que o país tem pouco mais de 51 milhões de habitantes.

Na América do Sul, o Chile e o Equador são os países mais adiantados, sendo que o primeiro iniciará a imunização já na próxima semana, e o segundo aprovou o uso emergencial e deve iniciar a vacinação no início da janeiro. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA