Cuba tem primeira morte em protestos contra governo

Diubis Tejeda tinha 36 anos e participava de ato em Havana

Protesto por liberdade em Cuba em Nova Jersey, nos EUA
Protesto por liberdade em Cuba em Nova Jersey, nos EUA (foto: EPA)
11:02, 14 JulHAVANA ZLR

(ANSA) - Ao menos uma pessoa morreu durante os protestos contra o governo de Cuba, que vem registrando a maior onda de insatisfação popular no país em quase 30 anos.

A vítima é um homem de 36 anos, Diubis Laurencio Tejeda, que protestava na periferia da capital Havana na última segunda-feira (12), de acordo com o próprio Ministério do Interior. A imprensa oficial diz que Tejeda participava de "distúrbios".

Os protestos eclodiram no domingo (11), em meio a uma crise econômica e sanitária agravada pela pandemia do novo coronavírus, com filas para obter comida, escassez de medicamentos e recorrentes cortes de energia.

Além disso, as manifestações também abarcaram a insatisfação com a falta de liberdade no país, que é governado por um regime comunista de partido único desde o fim da década de 1950.

Segundo ativistas, mais de 100 pessoas foram presas durante os atos populares.

O regime, por sua vez, tentou liquidar os protestos como "ações orquestradas por contrarrevolucionários financiados pelos Estados Unidos". Além disso, o governo cubano alega que a crise econômica é causada pelo embargo americano à ilha. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA