Polícia retoma controle de cadeia após pior massacre da história do Equador

Ao todo, 118 detentos morreram em presídio de Guayaquil

Policiais conseguiram retomar o controle do presídio em Guayaquil após 2 dias (foto: EPA)
10:26, 01 OutGUAYAQUIL ZGT

(ANSA) - A polícia do Equador conseguiu retomar o controle do presídio El Litoral, em Guayaquil, na noite desta quinta-feira (30). O local havia sido controlado por gangues rivais que promoveram o maior massacre do tipo da história do país, com ao menos 118 mortos e 86 feridos.

"Tudo está calmo e os detentos estão nas suas celas", disse a comandante da polícia, Tanya Varela, em uma coletiva de imprensa. Ao todo, a operação envolveu 900 agentes, dos quais dois ficaram feridos.

Os confrontos entre grupos rivais de narcotraficantes começaram no dia 28 de setembro e foram muito violentos. Segundo a mídia local, alguns dos detentos foram decapitados nas celas.

A Procuradoria-Geral informou que a briga generalizada ocorreu por dois motivos: "a luta pelo poder dentro do cárcere e a intenção das autoridades nacionais de transferir chefes de organizações criminosas para outros presídios do país".

Por conta da crise, o presidente do país, Guillermo Lasso, decretou estado de exceção em todo o sistema presidiário equatoriano e prometeu iniciar uma reforma a partir de El Litoral.

Essa é a terceira rebelião sangrenta que ocorre no Equador desde o início do ano. Em fevereiro, 79 presos foram assassinados em vários centros de detenção do país e, em julho, outros 22 foram mortos nos presídios de Guayas e Cotopaxi. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA