Congresso aprova impeachment do presidente do Peru

Martín Vizcarra foi destituído do cargo por 'incapacidade moral'

Vizcarra recebeu mais do que os 87 votos necessários no Parlamento
Vizcarra recebeu mais do que os 87 votos necessários no Parlamento (foto: EPA)
07:50, 10 NovLIMA ZRS

(ANSA) - O Congresso do Peru aprovou nesta segunda-feira (9) o impeachment do presidente Martín Vizcarra por "incapacidade moral".

A moção para remover o chefe de Estado, antes querido pela população por sua intransigência contra a corrupção, teve mais do que os 87 votos necessários no Parlamento.

O chefe do Congresso do país, Manuel Merino, assumirá as rédeas do governo até o final do mandato de Vizcarra, em 28 de julho de 2021.

Em setembro, Vizcarra conseguiu sobreviver a uma votação para tentar destituí-lo, pois somente 32 parlamentares votaram pelo impeachment. Em 2019, o político de 57 anos também se salvou de uma tentativa de suspensão.

Vizcarra é acusado de ter aceitado propinas de empresas quando ainda era governador da região de Moquegua, no sul do Peru. O político se defendeu dizendo que as alegações são "infundadas".

Em outra acusação, a oposição afirma que Vizcarra cometeu uma ilegalidade ao contratar um músico do país, Richard Cisneros, para ser uma espécie de consultor do Ministério da Cultura. O caso ganhou força após áudios terem sido revelados pela mídia peruana. Neles, o presidente pedia para duas assessoras mentirem sobre a contratação e sobre a quantidade de vezes que o artista tinha se reunido com o presidente.

Vizcarra estava no poder desde 2018, quando entrou na função após a renúncia do conservador Pedro Pablo Kuczynski. O Peru terá eleições gerais em abril de 2021. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA