Presidente do Peru decreta toque de recolher em Lima

Medida chegou após violentos protestos na capital e em Callao

Pedro Castillo também colocou as duas cidades em estado de emergência
Pedro Castillo também colocou as duas cidades em estado de emergência (foto: EPA)
15:27, 05 AbrLIMA ZRS

(ANSA) - O presidente do Peru, Pedro Castillo, decretou toque de recolher na capital Lima e na cidade portuária de Callao após uma série de violentos protestos contra o aumento dos preços dos combustíveis e fertilizantes no país.

Em virtude da medida, os 10 milhões de habitantes das duas cidades peruanas deverão permanecer em casa ao longo desta terça-feira (5), enquanto os transportes públicos dos municípios não funcionarão.

O toque de recolher, que vem sendo chamado de "imobilização", não afetará profissionais de algumas áreas, como saúde, saneamento, eletricidade, combustível e coleta de resíduos.

Na última segunda-feira (4), os protestos em Lima e Callao bloquearam estradas e provocaram diversos tumultos. Muitos manifestantes foram flagrados queimando pedágios, saqueando lojas e entrando em confronto contra as forças de ordem.

"Peço calma, serenidade, protesto social é um direito constitucional, mas deve ser feito dentro da lei", informou o presidente peruano em uma breve mensagem.

Com a cidade de Lima em toque de recolher e em estado de emergência, o jogo entre Flamengo e Sporting Cristal, pela Copa Libertadores da América, poderá ser adiado. O embate está marcado para acontecer hoje (5), a partir das 21h30 (horário de Brasília). (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA