Arte das contas de vidro de Veneza vira patrimônio da Unesco

Reconhecimento também premiou música de trompa de caça

A arte com vidro de Veneza foi reconhecida pela Unesco
A arte com vidro de Veneza foi reconhecida pela Unesco (foto: ANSA)
14:02, 17 DezVENEZA ZGT

(ANSA) - A 15ª sessão do Comitê Intergovernamental para a Proteção do Patrimônio Cultural Intangível da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) anunciou nesta quinta-feira (17) uma série de novos reconhecimentos globais.

Entre as candidaturas apresentadas pela Itália, em conjunto com outros países, duas foram classificadas como novos patrimônios imateriais da Unesco: a arte das contas de vidro de Veneza e da França e a música de trompa usada na caça da Itália, França, Bélgica e Luxemburgo.

A proposta de candidatura da primeira foi liderada, pelos italianos, através do Comitê de Proteção da Arte das Contas de Vidro Venezianas e, pelos franceses, através da Association des Perliers d'Art. Os Ministérios da Cultura de ambas as nações apoiaram as iniciativas.

Para a cidade de Veneza, essa é a primeira vez que uma arte da cidade é reconhecida como patrimônio imaterial da Unesco.

Segundo a organização italiana, a arte das contas de vidro é "estritamente ligada à riqueza do conhecimento e à padronização de uma matéria, o vidro, e de um elemento, o fogo".

"Essa arte reúne saberes compartilhados e técnicas incorporadas, que usa procedimentos e instrumentos artesanais particulares e inclui diversas fases de trabalho. A candidatura se focaliza sobre o 'saber fazer', sobre as implicações sociais e culturais dessa are e não apenas sobre o objeto criado", diz a entidade.

- Música:

Além da arte veneziana, a música de trompa para a caça também foi incluída na lista dos patrimônios imateriais. Muito famosa na região de Piemonte, a tradição também é vivida na França, Bélgica e Luxemburgo.

"Esse reconhecimento atinge diretamente a nossa região e se acresce a tantos outros reconhecimentos da Unesco aqui no Piemonte, sejam arquitetônicos, naturais ou gastronômicos, com a peculiaridade de contribuir para a sua valorização", destacou a assessora para a Cultura local, Vittoria Poggio.

A Itália é um dos países do mundo que mais tem patrimônios materiais e imateriais da Unesco, com destaques de sul a norte do país.

- Outros reconhecimentos:

Além das duas candidaturas italianas, foram reconhecidas pela Unesco as seguintes atividades nesta quinta-feira (17):

O Tai Chi Chuan, da China; a arte de manter a conexão sustentável entre mar e homem, da China e Malásia; a produção artesanal de decorações de árvore de Natal, da República Tcheca; a cultura da sauna, na Finlândia; a técnica de música e composição Pantun, da Indonésia e da Malásia; a peregrinação para o Monastério de São Tadeu Apóstolo, na Armênia e no Irã; a arquitetura de madeira, do Japão; Togyzqumalaq, Toguz Korgool e Mangala/Göçürme, tradicionais jogos de inteligência do Cazaquistão, Quirguistão e Turquia; a arte de produzir e tocar o Mbira/Sansi, do Malauí e Zimbábue; a cultura culinária do pão Il-Ftira, de Malta; a cultura da bebida tereré dos Pohã Ñana, no Paraguai; cultura de apicultura arbórea na Polônia e Belarus; a construção e a prática com o yole de Martinica, da França; técnicas de artesanato e práticas de oficia de catedral (Bauhüten), da Alemanha, Áustria, França, Noruega e Suíça; (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA