Pessoa mais velha da Europa se recupera da Covid aos 116 anos

Freira francesa não teve sintomas da doença

Irmã Andre não teve nenhum sintoma da doença e se recuperou da Covid-19
Irmã Andre não teve nenhum sintoma da doença e se recuperou da Covid-19 (foto: Reprodução/Twitter)
10:51, 10 FevSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - A pessoa mais velha da Europa, a irmã Andre, conseguiu superar a Covid-19 aos 116 anos, informa a mídia francesa. A religiosa, que tem o nome de batismo de Lucile Randon, contraiu a doença em 16 de janeiro, mas não apresentou nenhum sintoma.

A religiosa mora em uma casa de repouso em Toulon, na França, com outras 80 pessoas e ficou isolada durante o período em que testou positivo para o coronavírus Sars-CoV-2. No local, desde o início da pandemia, 10 idosos morreram por conta da doença.

Nascida em 11 de fevereiro de 1904, em Ales, também em território francês, irmã Andre recebeu a notícia da recuperação às vésperas de completar 117 anos.

"Eu nem percebi que contraí a Covid", disse à emissora "BFM", acrescentando que não ficou "com medo porque não tenho medo de morrer". Segundo os responsáveis do local, as maiores preocupações da religiosa era se precisaria mudar sua rotina de alimentação e sono.

De acordo com o Grupo de Pesquisa de Gerontologia, que classifica as 20 pessoas mais velhas do mundo, a irmã Andre também é a segunda pessoa mais idosa viva na Terra, atrás apenas da japonesa Kane Tanaka, que tem 118 anos. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA