Restaurante Supra tem menu italiano inspirado na Calábria

Até 31 de outubro, quem assina o cardápio é Giordano de Stefano

Giordano de Stefano é um dos 20 chefes da 4ª Settimana della Cucina Regionale Italiana
Giordano de Stefano é um dos 20 chefes da 4ª Settimana della Cucina Regionale Italiana (foto: Ansa)
14:28, 28 OutSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Em 2010, o chefe italiano Giordano de Stefano passou três meses viajando pelo Brasil e aprendendo português. Agora, aos 34 anos de idade, ele volta ao país, mas desta vez para fazer o que sabe de melhor: cozinhar.

 

Stefano é um dos 20 chefes italianos que desembarcaram em São Paulo para participar, até o dia 31 de outubro, da 4ª Settimana della Cucina Regionale Italiana, que hospeda um profissional originário de cada região do país em 20 restaurantes da cidade.

 

Colaborador do livro "Calábria, em todos os sentidos", Stefano mostrará ao público paulistano os segredos da região sul da Itália, conhecida por suas belezas naturais e pratos típicos, como a linguiça calabresa.

 

Comandando a cozinha do Supra, no Itaim Bibi, Stefano prepará polvo com batata e cebola; berinjela recheada com carnes, linguiça, queijo pecorino e ricota fresca; massa de grano duro com laranja e camarões; massa fresca com linguiça calabresa picante e queijo caciocavallo; peixe espada com azeitonas e orégano; sorvete (tartufo) de avelãs com chocolate derretido; e doce gelado de amêndoas com laranja e calda de alcaçuz. O menu pode ser degustado por R$ 115 no almoço e R$ 150 no jantar.

 

Em entrevista à ANSA, o chefe, que comanda o "Il Senso della Calabria", restaurante em Rende pertencente à família Greco, uma das principais produtoras de azeites e vinhos calabreses, afirmou que a gastronomia brasileira tem grande potencial para se desenvolver.

 

ANSA: Qual a peculiaridade da gastronomia italiana? O que a caracteriza?

Stefano: A peculiaridade da gastronomia italiana está ligada, principalmente, à posição geográfica que o país se encontra e ao enorme patrimônio gastronômico cultural que herdamos ao longo de séculos. Pensando nisso, são cada vez mais evidenciadas as numerosas excelências italianas provenientes de cada região do país, algumas vezes com mais de uma peculiaridade, como o azeite de oliva extra virgem, os vinhos, as massas, os queijos, os salames, os pães, etc. Tudo isto se alia à nossa capacidade de, como chefes, inovar ou propor releituras de sabores e pratos autênticos que caracterizam a nossa gastronomia.

 

ANSA: Quais os principais elementos da cozinha da Calábria?

 

Stefano: A Calábria é uma região que, como elementos principais gastronômicos, têm legumes, pães, porcos, olivas, pimentas, peixes, queijos, tomates e embutidos.

 

ANSA: E quais os ingredientes típicos da região?

 

Stefano: Como base, usamos o azeite extra virgem de oliva, depois as batatas, a cebola roxa de Tropea, o queijo caciocavallo, a linguiça - tanto fresca quanto combinada a outros tipos de embutidos -, as frutas cítricas, principalmente a laranja bergamota de Reggio Calabria, a nduja, o feijão, a lentilha, os cogumelos, o atum e a anchova, além dos camarões.

 

ANSA: Você já esteve no Brasil? O que pensa sobre a gastronomia local?

 

Stefano: Tive o prazer de visitar o Brasil há cinco anos, ocasião em que passei três meses viajando entre o Rio de Janeiro e o Nordeste. Graças a isso, hoje consigo me comunicar bem em português.

 

Mas o que mais me marcou na gastronomia brasileira foi a extraordinária capacidade de cozinhar a carne. É verdadeiramente notável como a carne seca e o frango são usados na cozinha local. Já quanto ao arroz, às frutas e às verduras, ainda tem muito o que fazer com elas, mas o potencial é imenso e me atrai.

 

Informações: http://www.settimanacucinaitaliana.com.br/

De 24 a 31 de outubro (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA