Sedes da Copa América têm mortalidade por Covid acima da média

Cuiabá, Distrito Federal, Rio de Janeiro e Goiânia receberão jogos

Jogos da Copa América serão realizados em quatro cidades que têm números muito ruins na pandemia
Jogos da Copa América serão realizados em quatro cidades que têm números muito ruins na pandemia (foto: EPA)
20:09, 09 JunSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - A situação epidemiológica das quatro sedes da Copa América, que começa no próximo domingo (13), apresenta números preocupantes e acima da média nacional de óbitos, mostra um levantamento feito pela ANSA com base nas informações das secretarias de Saúde municipais e do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Segundo o Conass, o Brasil tem uma taxa de mortalidade de 226,9 óbitos para cada 100 mil habitantes, o que coloca o país na 11ª colocação no mundo. Liderando o ranking global, conforme dados da Universidade Johns Hopkins, aparecem Peru (573,7), Hungria (305,69) e Bósnia e Herzegovina (285,10).

No entanto, se fossem países, três das quatro sedes da Copa América ficariam atrás apenas do Peru. Cuiabá tem o pior dado, com 473,7 mortes a cada 100 mil habitantes, seguida por Rio de Janeiro, com 400,9; Goiânia, com 345,4; e Distrito Federal, com 293,3.

Em números totais, a "liderança" é do Rio de Janeiro, que tem 26.933 falecimentos pelo coronavírus Sars-CoV-2 confirmados. Na sequência aparecem DF (8.844), Goiânia (5.064) e Cuiabá (2.928).

Quando considerados os casos a cada 100 mil habitantes, três das quatro sedes têm números acima da média nacional (8.107,2): Cuiabá, com 14.250,7; Distrito Federal, com 13.508,6; e Goiânia, com 11.187,2. Já o Rio de Janeiro tem incidência de 5.004,3.

Outro ponto preocupante é o fato de as quatro sedes terem índices de ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) entre 80% e 90%.

Apesar da situação crítica, o governo de Jair Bolsonaro, dos estados e das cidades decidiram manter a realização da Copa América. Na última terça-feira (8), inclusive, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, voltou a repetir que o evento esportivo não afetará os números da pandemia porque os "protocolos são seguros".

No entanto, o temor de contaminação nas seleções é perceptível.

A Argentina, que desistiu de sediar a competição justamente pelo avanço da pandemia de Covid-19, informou que não ficará no Brasil, fazendo voos nas vésperas dos jogos e voltando para Ezeiza para treinamento.

A possibilidade de permanecer em seus países foi autorizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), que arcará com as despesas extras.

Contudo, a realização da Copa América ainda está no meio de uma disputa judicial. Na quinta-feira (10), o Supremo Tribunal Federal (STF) vai analisar se veta ou não a realização do torneio, em ação movida pelo PSB, que alega falta de condições sanitárias para organizar o evento esportivo. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA