Alec Baldwin é acusado de jogar 'roleta russa' em novo processo

Disparo dado por ator matou diretora de fotografia de 'Rust'

Alec Baldwin é acusado de jogar 'roleta russa' em novo processo
Alec Baldwin é acusado de jogar 'roleta russa' em novo processo (foto: ANSA)
15:51, 18 NovLOS ANGELES ZCC

(ANSA) - A supervisora de roteiro do filme "Rust", Mamie Mitchell, disse em um novo processo judicial que o ator Alec Baldwin escolheu "jogar roleta russa" quando fez um disparo que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins no mês passado.

Este é o segundo processo contra o ator aberto em uma semana e revela também que o roteiro da produção não previa que uma arma fosse disparada na cena.

Mitchell acusa Baldwin, a armeira Hannah Gutierrez e os produtores do filme de agressão, inflição internacional de sofrimento emocional e inflição deliberada de dano.

"Os eventos que levaram Baldwin a disparar uma arma carregada não constituem em uma simples negligência", afirmou a advogada da roteirista, Gloria Allred, à imprensa em Los Angeles.

Segundo a defesa de Mitchell, o ator deveria ter verificado pessoalmente se a arma tinha munição real, em vez de confiar na afirmação do diretor-assistente de que o revólver Colt .45 era seguro para uso.

"Em nossa opinião, o Sr. Baldwin escolheu jogar roleta russa quando disparou uma arma sem verificar e sem que o armeiro o fizesse em sua presença", acrescentou Allred, afirmando que o comportamento dele e dos produtores de Rust foi "imprudente".

De acordo com a investigação realizada pelas autoridades de Santa Fé, no estado norte-americano do Novo México, a arma foi entregue a Baldwin pelo assistente Dave Halls, que teria gritado "cold gun" -expressão utilizada para revelar que a arma não contém balas reais.

Na ocasião, em 21 de outubro, Baldwin disparou a arma cenográfica que matou Halyna e deixou o diretor do filme, Joel Souza, ferido no set. Autoridades de Santa Fé ainda estão investigando, e nenhuma acusação criminal foi registrada. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA