Aos 84 anos, morre humorista Jô Soares em São Paulo

Ator estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde 28/7

Jô Soares estava internado em SP por causa de uma pneumonia (foto: Andy Santana/Futura Press)
11:59, 05 AgoSÃO PAULO ZRS

(ANSA) - O humorista, apresentador e ator Jô Soares morreu na madrugada desta sexta-feira (5), aos 84 anos de idade, informou o Hospital Sírio-Libanês.

O apresentador estava internado desde o dia 28 de julho no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, por causa de uma pneumonia. A causa da morte do também diretor e escritor não foi revelada.

A morte de Jô Soares também foi confirmada nas redes sociais por Flávia Pedra, ex-mulher do humorista.

"Faleceu há alguns minutos o ator, humorista, diretor e escritor Jô Soares. Nos deixou no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, cercado de amor e cuidados. O funeral será apenas para família e amigos", escreveu.

Natural do Rio de Janeiro, José Eugênio Soares trabalhou em diversas emissoras ao longo da carreira, como Tupi, Excelsior, Record, SBT e Globo. O humorista conduziu por vários anos o "Programa do Jô", mas também se destacou por suas participações em "A Família Trapo", "Planeta dos Homens" e "Viva o Gordo".

Pelé

O ex-jogador Pelé utilizou suas redes sociais para homenagear o humorista e apresentador Jô Soares, que era fã de futebol e torcedor da equipe do Fluminense.

"Jô era um grande amigo, inteligente, perspicaz, bem humorado e que adorava uma boa conversa. Acordo muito triste com a notícia de que essa grande estrela nos deixou. Apesar daquela famosa fala do filme, não, eu não sou Jô Soares. Mas como profundo admirador, eu adoraria ter sido", escreveu o ex-craque da seleção brasileira. 

Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, lamentou a morte do humorista Jô Soares em uma mensagem nas redes sociais. O mandatário destacou que o ator foi um "exemplo de postura, elegância e bom humor".

"Independentemente de preferências ideológicas, Jô Soares foi uma grande personalidade brasileira que conquistou a todos com seu modo cômico de discutir assuntos profundos. Que Deus conforte a família e o acolha com a cordialidade que o próprio Jô recebia a todos. Jô sempre fez bom uso do seu direito de livre expressão. Por muitas vezes teceu duras críticas contra mim, inclusive. Mas foi por viver num país livre, não em um regime autoritário, que ele pode exercê-lo integralmente. Essa é a beleza da democracia. No fim das contas, as divergências pouca diferença fazem na hora de nossa partida para perto de Deus. O que fica são as nossas obras, e Jô Soares deixa para o Brasil um exemplo de postura, elegância e bom humor, e, por isso, tem o meu respeito", escreveu Bolsonaro.(ANSA).

   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA